fechar

Um olhar especial aos pacientes com câncer

Diariamente, aproximadamente 30 pessoas são transportadas pela Prefeitura para tratamento da doença em SCS

por: Ana Carolina Becker / Alan Faleiro
Data: 13/10/2016 | 06:45
viabol

Percorrer cerca de 30 quilômetros diariamente é um dos desafios enfrentados por moradores de Venâncio Aires que precisam passar por tratamento de quimioterapia ou radioterapia

Foto: Ana Carolina Becker / Folha do Mate.
.

no Hospital Ana Nery, em Santa Cruz do Sul. Somente de janeiro a outubro deste ano, a Secretaria de Saúde da Capital do Chimarrão já encaminhou 203 novos pacientes à Casa de Saúde, conveniada ao município através do Sistema Único de Saúde (SUS).

O drama precisa ser enfrentado por pacientes diagnosticados com câncer porque, atualmente, o município não dispõe de estrutura para realizar o tratamento. Para marcar o Outubro Rosa, mês em que a conscientização 'fala mais alto', a Folha do Mate traz reflexão sobre esta situação que precisa ser enfrentada por diversos venâncio-airenses.

De acordo com informações da Secretaria da Saúde, duas vans são destinadas para levar pacientes todos os dias à cidade vizinha, totalizando cerca de 30 enfermos a cada dia. O hospital Bruno Born, de Lajeado, também é referência para determinados tratamentos de oncologia, como, a leucemia.

A pasta do município é responsável por realizar o primeiro encaminhamento através do SUS. Muitos dos que são atendidos pelo Hospital Ana Nery, através da rede pública, às vezes, costumam nem utilizar o transporte público para realizar o tratamento que, para alguns, é diário. Além disso, venâncio-airenses também são atendidos por meio de convênios particulares no tratamento de câncer pelo hospital conveniado.

Giovane quer célula de serviços de oncologia
Para facilitar a vida das pessoas que sofrem com o câncer e evitar que estas tenham que recorrer a outra cidade para a realização de determinados procedimentos que envolvem o tratamento, o próximo prefeito de Venâncio Aires, Giovane Wickert, trouxe durante a campanha eleitoral a proposta de buscar implantar uma célula de serviços de oncologia junto ao Hospital São Sebastião Mártir.

Ele explica que a ideia é contar com um 'braço' do serviço já existente no Hospital Ana Nery, em Santa Cruz do Sul, uma vez que seria improvável conseguir o mesmo credenciamento para o Hospital de Venâncio Aires, devido ao regramento estabelecido pelo Ministério da Saúde no que se refere ao número de habitantes necessários para se ter o serviço como referência.

Segundo Giovane, já se realizou um contato inicial com o Hospital Ana Nery em que se confirmou a possibilidade de contar com uma célula do serviço em Venâncio Aires. Ele explica que a parceria envolveria os dois hospitais e as prefeituras de ambas as cidades, mas ressalta que ainda precisa ser estudada a contrapartida a ser dada por Venâncio Aires. Para isso, aguarda o recebimento de um diagnóstico mais preciso da situação econômica da Prefeitura.

Giovane cita que a proposta surgiu durante a elaboração do plano de governo, a partir de discussão que se teve com a Liga Feminina de Combate ao Câncer, com quem o Município pretende manter o diálogo, inclusive no que se refere à demanda da entidade de adequar o espaço físico que a mesma possui dentro do HSSM.


Já é um desconforto o tratamento de câncer, imagina para quem está se deslocando todos os dias para Santa Cruz do Sul

GIOVANE WICKERT
PRÓXIMO PREFEITO DE VENÂNCIO AIRES

 


 


'A Liga faz um trabalho
complementar da saúde pública'

A frase acima é da presidente da Liga Feminina de Combate ao Câncer, Izoldi Dida Bugs. A entidade, responsável por desenvolver atividades alusivas ao Outubro Rosa em Venâncio Aires, trabalha durante o ano todo na luta contra o câncer.

Conforme levantamento alusivo ao mês de setembro, a entidade atende 217 pacientes, entre homens, mulheres e crianças. No mês, foram efetuados cinco novos cadastros, enquanto três enfermos vieram ao óbito.

A LFCC tem um gasto mensal de aproximadamente R$ 14 mil. A quantia soma-se a compra de alguns remédios que o SUS não fornece, além de consultas e exames médicos, suplemento alimentar (necessário para pessoas com câncer de esôfago) e o pagamento de duas profissionais - nutricionista e psicóloga - que auxiliam os pacientes a manter-se bem na alimentação e com um bom suporte emocional. Além disso, a Liga também ajuda pacientes com o leite, complemento alimentar, de pacientes que possuem câncer no aparelho digestivo.

A quantia que arca com todos os custos é obtida através de ações desenvolvidas pela entidade, como, Jantar do Risoto, festa de São João, galinhada, doações dos voluntários cadastrados, venda de camiseta e bottons, são algumas das formas de arrecadação.


 

Quer doar?
-Você quer ajudar a Liga Feminina de Combate ao Câncer? Para tornar-se um colaborar mensal é necessário procurar a entidade de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h, na sala anexo ao Hospital São Sebastião Mártir.
-Você pode adquirir camisetas e bottons da entidade. As camisetas - em três modelos - podem ser compradas ao valor de R$ 40 e os bottons ao valor de R$ 5.
-Quer doar um litro de leite? A presidente da entidade, Izoldi, salienta que na hora de comprar o alimento é importante prestar atenção na data de validade. Pede-se que a validade já seja para os meses de janeiro e fevereiro.