fechar

Município realiza trabalho de prevenção ao Aedes

por: Kethlin Meurer
Data: 14/02/2017 | 11:00
Foto: Divulgação .

Mesmo que a situação da Capital Nacional do Chimarrão não seja preocupante em relação à proliferação do Aedes Aegypti - transmissor da dengue, do zika vírus e da chikungunya - os seis agentes da Vigilância Ambiental do município não abrem não de realizar um trabalho de combate e prevenção ao mosquito.

Do início de janeiro até a tarde de sexta-feira, chegaram à prefeitura cerca de 40 denúncias em virtude da falta de cuidados da população quanto à água parada. De acordo com o coordenador da Vigilância Ambiental de Venâncio, João Staub, quando uma denúncia chega os agentes se deslocam até o local e passam orientações. Caso isso não resolva, é a secretaria do Meio Ambiente que entra em ação e realiza a fiscalização, o que pode gerar alguma autuação. A maioria das situações irregulares que gera denuncias é devido à falta de informação ou descuido dos proprietários do local.

Trabalho
é constante
Staub ressalta que o trabalho dos agentes é constante, mas os cuidados costumam ser reforçados durante o verão em função das chuvas, calor e umidade, fatores que contribuem para a proliferação do mosquito. Ao todo, existem 74 armadilhas distribuídas no perímetro urbano que são visitadas semanalmente para coleta de larvas e verificação do material. Existem também os pontos estratégicos que recebem uma atenção maior, como os entulhos ou recipientes que acumulam água.

Há alguns dias, a secretaria da Saúde recebeu recurso de R$ 15 mil da União para reforçar o combate ao Aedes Aegypti. A verba, de acordo com Staub, tem sido aplicada na compra de larvicidas, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os agentes de endemias, fôlderes, manutenção do veículo, por exemplo.

Colaboração
da população
O coordenador ressalta que a vigilância conta com a colaboração das pessoas como forma de prevenção ao mosquito. Staub percebe que grande parte da população tem se mostrado preocupada com a proliferação do inseto e isso pode ser percebido por meio da quantidade de denúncias.

Ele ainda acrescenta que é fundamental as pessoas tomarem um cuidado em relação aos pátios das próprias casas. Uma atenção especial deve ser dada a locais que podem acumular água como vasos, potes, pneus, calhas, sacos plásticos, piscinas, tampas etc.. Esse cuidado com recipientes que contêm água parada é necessário, porque as fêmeas do mosquito depositam os ovos nesses locais. Outro curiosidade está no fato delas costumarem picar o ser humano na parte do começo da manhã ou no fim da tarde. As picadas geralmente são nas regiões dos pés, tornozelos e pernas. Isso ocorre, porque costumam voar a uma altura máxima de meio metro do solo.