fechar

Comissão emancipacionista de Passo do Sobrado se reencontra depois de 25 anos

por: Claudio Froemming
Data: 21/03/2017 | 23:39
Fenachim
Foto: Claudio Froemming / Folha do MateDos doze membros da Comissão de Emancipação, somente Ney Jacobsen faleceu neste período, sendo representado por seu filho Paulo Jacobsen
Dos doze membros da Comissão de Emancipação, somente Ney Jacobsen faleceu neste período, sendo representado por seu filho Paulo Jacobsen

Numa iniciativa do presidente e vice-presidente da Comissão de Emancipação, Gilberto Daniel Weber e Clóvis Sinval Salvagni, respectivamente, se reuniram na noite da segunda-feira, dia 20 de março, dia em que Passo do Sobrado comemorou seus 25 anos de emancipação político-administrativa, doze amigos que integraram a comissão. O encontro foi na residência de Clóvis Salvagni e teve como objetivo lembrar de como foi o processo de emancipação e avaliar as conquistas destas duas décadas e meia de vida própria e independente.
Conforme Salvagni, tudo teve início com um grupo pequeno, de apenas três pessoas, mas que foi crescendo ao longo do tempo e chegou no dia 8 de maio de 1990, com um número de 350 participantes, que reuniram-se para escolher a Comissão de Emancipação, composta por Gilberto Daniel Weber, Clóvis Sinval Salvagni, Luiz Fernando Moenke, José Robério Kroth, Irineo Schimidt Lopes, Abel Samuel da Rosa, Paulo Claiton Janisch, Vilmar da Silva Müller, Elto Dettenborn, Ney Jacobsen, (in memorian) Leonor Armando Gelsdorf e Ênio José Konzen.
'Quando iniciamos, ninguém falou de sigla partidária ou divisão de qualquer tipo. Nos unimos no mesmo propósito, de nos emancipar de Rio Pardo, porque as dificuldades eram muito grandes na época. E agora tenho a certeza que valeu a pena, pois crescemos e evoluímos muito', destacou o anfitrião do encontro.
Plebiscito - Luiz Moenke lembrou que a primeira tarefa da comissão foi levar a proposta para as comunidades, que fariam parte do futuro município de Passo do Sobrado, através de encontros. As comunidades aderiram à ideia e organizaram-se em sub-comissões, sendo 17 no total. Uma das tarefas era convencer os moradores que a emancipação seria o melhor para todos, e com isso, tivemos um apoio maciço no plebiscito que escolheu pelo SIM na emancipação.
Desafios - O ex-prefeito, vice e vereador, Elto Dettenborn avaliou como positivo o resultado dos 25 anos de emancipação de Passo do Sobrado, destacando que cada gestor que esteve no comando do Município, fez sua parte, dando sua contribuição para que hoje o resultado seja positivo aos olhos dos passo-sobradenses e das pessoas da região que visitam o Município.
'Claro que com o passar do tempo, novas demandas e desafios surgem, e portanto, nunca poderemos dizer que está tudo bem, pois os problemas se apresentam e requerem soluções, o que é normal. Mas no geral podemos comemorar o resultado destes 25 anos, pois temos hoje um município bem estruturado que oferece qualidade de vida aos seus moradores', destacou o ex-prefeito.
Elto Dettenborn contou ainda que o maior motivo pela busca da emancipação foi a distância de Rio Pardo, 35 quilômetros, e a falta de assistência da prefeitura para com o então 2º distrito de Passo do Sobrado. Foram dois anos de luta até a emancipação que valeram a pena. 'Hoje é um dia muito feliz para todos, pois é o reencontro de um grupo que acreditou que tínhamos potencial e competência para seguirmos independentes do município-mãe, e disso ninguém discorda', concluiu Elto Dettenborn.
Dos doze membros da comissão de emancipação, somente um faleceu neste período, sendo Ney Jacobsen, que esteve representando por seu filho Paulo.
Prefeitos que já governaram Passo do Sobrado:
1993: Gilberto Wber e Leonor Gelsdorf
1997: João Regert e Elto Dettenborn
2001: Airton Etges e Robério Kroth
2005: Elto Dettenborn e Caio Baierle
2009: Caio Baierle e Gilberto Weber
2013: Caio Baierle e Helio de Queiroz
2017: Helio de Queiroz e Cristiano Konzen