fechar

Câmara de Vereadores de Vale Verde não gasta com diárias desde 2015

por: Claudio Froemming
Data: 23/06/2017 | 10:08
Foto: Claudio Froemming / Folha do MateToillier: 'Precisamos dar o exemplo se quisermos uma mudança na situação do país'
Toillier: 'Precisamos dar o exemplo se quisermos uma mudança na situação do país'
Foto: Claudio Froemming / Folha do MateStorch: 'Viagens para perto não precisam de diárias'
Storch: 'Viagens para perto não precisam de diárias'
Foto: Claudio Froemming / Folha do MateFrança: 'Propus aos meus colegas de não tirar diárias no meu mandato, o que foi aceito e cumprido por todos'
França: 'Propus aos meus colegas de não tirar diárias no meu mandato, o que foi aceito e cumprido por todos'

Na contramão da maioria das câmara de vereadores da região, Vale Verde é um dos poucos municípios que não gastou nenhum real em diárias nos últimos dois anos e meio, conforme afirmou Marlei Kellermann, responsável pelo setor de empenhos da prefeitura. Enquanto muitos parlamentares tiram diárias para se dirigir à Porto Alegre para cursos e consultorias em órgãos de assessoria jurídica, bem como participar de eventos como a marcha dos prefeitos, os vereadores vale-verdenses evitam as diárias.
O atual presidente do legislativo, Eloir Storch (PMDB) afirmou que alguns vereadores já tiveram que se dirigir à Santa Cruz do Sul, Venâncio Aires e até Porto Alegre, mas que não tiraram diárias. 'Eu mesmo cumpro alguns compromissos com recursos próprios, pois entendo que este valor não me fará falta, e assim todos juntos, faremos sobrar recursos no final do ano para serem investidos na população', disse Storch, que está no quarto mandato como vereador.
O presidente da câmara no ano passado, Carlos Toillier (PP) explicou que no seu mandato, alguns até solicitaram diárias, mas que acabaram desistindo de pegar a verba a que teriam direito. 'Por conta destas e de várias outras economias, pude economizar e devolver ao Executivo Municipal R$ 180 mil. Penso que ir para cursos e seminários, bem como à marcha dos prefeitos, na sua maioria, é só para passear, pois os nossos deputados são gaúchos, e sendo assim, o vereador pode encontrar com eles para fazer reivindicações nos finais da semana ou nas segundas-feiras, quando eles atendem aqui na região. E nesse caso, sem precisar gastar recursos públicos', defendeu Toillier.
O parlamentar se diz convicto de que fez a coisa certa, pois defende que principalmente em tempos de crise, os cortes devam acontecer na própria carne, para dar o exemplo. 'Se todos pensarmos assim, vamos ter muito mais verba para o que realmente é importante como saúde, educação e infraestrutura, entre outros', concluiu o vereador, que foi reeleito no ano passado e está no terceiro mandato.
Já o ex-presidente do ano de 2015, Euzébio França (PMDB) disse que acertou com os demais vereadores de não tirar diárias com o objetivo único de economizar. 'Como todos aceitaram minha sugestão, acabamos fazendo outras economias também, que totalizaram um valor de R$ 130 mil, que pode ser usado pela Administração Municipal em obras e aquisições em prol da comunidade vale-verdense', destacou França, que já foi vereador e presidente do legislativo em outras oportunidades. Atualmente não está na política porque optou por não concorrer no último pleito.