fechar

Atendimento de plantão das 24h às 7h terá continuidade em Passo do Sobrado

por: Claudio Froemming
Data: 02/06/2017 | 10:11
Foto: Claudio Froemming / Diego DettenbornRepresentantes do Executivo, Legislativo, Conselho de Saúde e comunidade, se reuniram na Câmara de Vereadores para discutir o assunto
Representantes do Executivo, Legislativo, Conselho de Saúde e comunidade, se reuniram na Câmara de Vereadores para discutir o assunto

O prefeito Helio de Queiroz enviou na tarde da quinta-feira, dia 01, um ofício à Secretaria da Saúde determinando a continuidade do plantão médico no horário das 24h às 7h. Nesta semana foi realizada uma reunião na Câmara de Vereadores a pedido da Secretária Saira Menezes Leite para tratar do assunto.
Participaram representantes dos dois poderes bem como da comunidade e do Conselho Municipal de Saúde. Conforme Saira, o objetivo do encontro foi de debater sobre o corte dos médicos no atendimento da madrugada, já que este tem um custo elevado e poucos atendimentos. 'Como o Município está buscando economia onde é possível, coloquei esta possibilidade para apreciação da população bem como das entidades representativas, Câmara de Vereadores e Executivo, já que tem tido poucos atendimentos neste período', explicou a Secretária.
O prefeito Helio de Queiroz disse que a sugestão da Secretária Saira foi válida, mas sentiu que a maioria da população prefere manter o atendimento, mesmo que este tenha um custo de R$ 23 mil mensais e uma média de 27 atendimentos por mês, o que não chega a um atendimento por dia em média. 'No entanto o atendimento vai continuar', garantiu o prefeito.
O presidente do Conselho Municipal de Saúde, João Kroth, participou da reunião e disse que o conselho ainda não tem uma opinião formada sobre o assunto. 'Ainda não temos todos os números para serem analisados e estamos falando com as lideranças das comunidades para saber a opinião deles. Posso dizer por enquanto, que se o número de atendimentos de urgência e emergência tem sido baixos, é porque o programa de prevenção está funcionando. E se uma vida for salva por conta do atendimento médico, já valeu a pena', afirmou Kroth.