fechar

Giovane Wickert e Tiago Quintana 'duelam' na Câmara de Vereadores

por: Carlos Dickow
Data: 16/05/2018 | 06:30
Foto: Carlos Dickow / Folha do MateGiovane Wickert e André Kaufmann foram divulgar Agrofeira e apresentar projetos do Município em andamento, mas os assuntos acabaram sendo ampliados
Giovane Wickert e André Kaufmann foram divulgar Agrofeira e apresentar projetos do Município em andamento, mas os assuntos acabaram sendo ampliados

A passagem do prefeito de Venâncio Aires, Giovane Wickert (PSB), pela Câmara de Vereadores, na sessão da noite desta segunda-feira, 14, resultou em embate quente com o pedetista Tiago Quintana. O chefe do Executivo utilizou a tribuna da Casa, juntamente com o secretário de Agricultura, André Kaufmann, para divulgar a programação da Agrofeira - que será realizada entre a quinta-feira, 17, e o domingo, 20 - e apresentar a palestra 'Resiliência', que trata das dificuldades enfrentadas nos dias atuais pelos gestores públicos e quais são os caminhos a serem seguidos para possibilitar que sejam superados.

A explanação de Wickert seguia tranquila, com participação dos vereadores da base governista, mas o clima mudou quando Quintana pediu a palavra, quase no fim da sessão. Começou sugerindo que o prefeito corrigisse erro em frase que constava na apresentação 'para não cometer gafe fora do nosso município'; disse que a Administração 'é incoerente em seus discursos, pois sustenta um déficit que nunca foi confirmado'; abordou a falta de medicamentos na rede pública de Saúde e necessidade de limpeza dos postos; falou sobre os cortes no transporte escolar e o atraso dr cirurgias eletivas; e, por fim, criticou a compra de um carro pelo prefeito, encerrando com a frase: 'O senhor é um campeão de dar explicações'.

A réplica de Giovane Wickert, embora estivesse notadamente incomodado com os comentários, não foi além do tom. Declarou que 'o transporte escolar precisa obedecer a lei do corte, por legislação'; afirmou que as cirurgias eletivas estão sendo realizadas graças ao envio de emendas parlamentares de várias bancadas, destacando que o PDT só mandou R$ 100 mil, do deputado federal Pompeo de Mattos, enquanto Sérgio Moraes (PTB) encaminhou R$ 1,5 milhão; e falou que o parlamentar 'não precisa se preocupar com as questões do governo, porque isso eu, o vice-prefeito Celso (Krämer) e os secretários estamos fazendo'.

SEQUÊNCIA - Na sequência, no entanto, Wickert fez declarações mais contundentes. Afirmou que o ex-prefeito de Venâncio Aires, Airton Artus (PDT), 'do qual o senhor (Quintana) era secretário de Governo', fez o pedido para que fossem pagos valores à Associação Tradicionalista Venâncio-Airense (ATVA), uma vez que a entidade ainda estaria devendo R$ 35 mil por conta de o Município não ter repassado, em 2016, valores para a realização da inter-regional do Enart; disse que o governo anterior foi apontado 'por pagar R$ 8 mil de diárias para servidoras em viagem à China'; e lembrou do 'famoso' episódio da cafeteira remanejada da Assistência Social para o Gabinete do Prefeito, dizendo que vai leiloar o equipamento. A novidade, contudo, ficou para o fim: 'Sem contar o calhamaço de apontamentos de 2015, de R$ 800 mil, referentes à Assistência Social, na área de habitação, que acabaram de chegar e que não temos o que fazer'.

'O senhor esquece que foi vice-prefeito na gestão anterior. Está sempre olhando no retrovisor e apontando erros para tentar legitimar os seus atos. Tem que parar de olhar para trás e deixar de ter o ex-prefeito, o PDT e eu como alvos.'

TIAGO QUINTANA
Vereador do PDT

'Na vida, todo mundo tem um lado. O senhor defendia que estava tudo no rumo certo, mas quando assumimos constatamos que isso não era a realidade. Só me cola ao insucesso do governo anterior. Tem que ter ação no presente, mas moral no passado.'

GIOVANE WICKERT
Prefeito de Venâncio Aires

Que R$ 800 mil são esses?

O secretário de Habitação e Desenvolvimento Social, Arnildo Camara, confirmou na tarde de ontem que documentos do Governo Federal chegaram à pasta para que o Município explique, de acordo com ele, 'recursos aplicados equivocadamente'. Camara informou que a documentação foi para o setor de Controle Interno e que não teria como especificar os apontamentos. 'O prefeito deve fazer isso em momento oportuno', comentou, salientando que, além da habitação, há questionamentos sobre as aplicações no Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti).

CRÍTICA

1 - Eduardo Kappel (Progressistas), cobrou duramente o prefeito Giovane Wickert porque, segundo ele, o chefe do Executivo 'não reconhece esta Casa, especialmente o ex-presidente Gilberto dos Santos (PTB)'.

2 - O parlamentar afirmou que ginásios e postos de saúde foram inaugurados graças ao dinheiro da Câmara e que as máquinas da Prefeitura estão andando por conta de repasses do Legislativo, mas que Wickert não faz justiça em relação a isso.

3 - Em resposta, o prefeito declarou que em todos os locais onde foram inauguradas obras ou feitos serviços com verbas da Câmara, o Legislativo e os vereadores foram lembrados à exaustão. 'Onde vou, reforço a parceria de vocês', disse.

Pessoas físicas podem adotar praças, placas e monumentos

Foi aprovado na sessão do Legislativo desta segunda-feira, 14, o Projeto de Lei número 030/2018, do Poder Executivo Municipal e que prevê a possibilidade de pessoas físicas e jurídicas adotarem equipamentos públicos e verdes complementares, como praças, parques urbanos, passarelas, áreas verdes, quadras esportivas, monumentos, academias de saúde, pistas de corrida, academias ao ar livre, paradas de ônibus, placas de ruas, pavimentações, mobiliários urbanos, caminhódromos e ciclovias.
De acordo com a justificativa do projeto, a Administração, após o lançamento do programa 'Adote esta ideia', notou que muitas pessoas físicas demonstraram interesse em adotar espaços públicos, o que não era previsto em legislação - somente pessoas jurídicas tinham a permissão. A intenção é de ampliar as possibilidades de adoção e garantir o embelezamento da cidade. O único voto contrário foi da pedetista Ana Cláudia do Amaral Teixeira, que se posicionou desta maneira por entender que 'permitir que pessoas físicas adotem e façam propaganda pode ser precedente para a promoção pessoal e política'.