fechar

Secretaria de Segurança questiona suspensão de transferências do Presídio Central

por: Letícia Wacholz
Data: 13/08/2014 | 09:16
Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do MatePresídio de Venâncio Aires está pronto
Presídio de Venâncio Aires está pronto

O Secretário da Segurança Pública do RS, Airton Michels questionou a iniciativa do Ministério Público e do Poder Judiciário de suspender a transferência de detentos do Presídio Central.

Conforme Michels, o Presídio Central de Porto Alegre é um problema há mais quatro décadas e este governo busca resolver a superlotação com 4.530 vagas que estão sendo geradas nos presídios de Venâncio Aires, Montenegro, Charqueadas, Canoas e Guaíba, para a desocupação do Presídio Central, até dezembro de 2014.

Michels considera que, quando um governo pela primeira vez resolve claramente enfrentar esta questão, as mesmas instituições que cobram soluções querem impedir a ação. 'Em um momento nos dizem "desocupem o quanto antes", e quando começamos, dizem: parem o processo'.

Número de agentes penitenciários quase dobrou no Estado

Sobre a alegação do Poder Judiciário de que faltam agentes penitenciários para tomarem conta dos apenados, o Governo do Estado reitera que já foram chamados 800 agentes penitenciários e há um concurso em andamento para mais 600. É praticamente o dobro dos 1.600 servidores que havia em 2011, uma estrutura nunca vista no sistema penitenciário do Estado.

O fato mais surreal que poderia acontecer seria manter os presos em situação precária e não poder levá-los para os presídios novos' - Airton Michels.

Com capacidade para 529 apenados, a previsão é de que a ocupação  - em regime fechado e de presos da região - na Penitenciária Masculina de Venâncio Aires inicie, ainda, neste mês.


Fonte: Governo do Estado