fechar

Julgamento do Caso Júlio Marder é retomado com a acusação do promotor Pedro Porto

Titular do Ministério Público terá duas horas e meia para se pronunciar

por: Alvaro Pegoraro
Data: 03/05/2019 | 14:00
Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do MateJulgamento acontece neste momento em Venâncio Aires
Julgamento acontece neste momento em Venâncio Aires

Depois dos depoimentos das testemunhas e dos quatro réus, o julgamento do Caso Júlio Marder tem prosseguimento com o início dos debates entre acusação e defesa. O primeiro a se pronunciar será o promotor Pedro Rui da Fontoura Porto.

Ele terá duas horas e meia para reafirmar sua convicçãao do envolvimento dos quatro réus na morte do bancário Júlio Assmann Marder. Na sequência, serão ouvidos os advogados de defesa.

Um plenário lotado acompanha o julgamento mais aguardado do ano na Comarca de Venâncio Aires. Os réus Salete de Azevedo, 46 anos, Márcia Rejane Kist Severo, 45 anos, Marcos Roberto Cottes Figueiró, 29 anos, e Antônio Alcides Oestreich, 53 anos sentaram no banco dos réus para responder pela morte de Júlio Assmann Marder.

O bancário foi morto a facadas, na noite do dia 26 de outubro de 2017, dentro da casa onde vivia com Salete, próximo ao estádio Edmundo Feix, no bairro Aviação. Ela era sua companheira há cerca de dois anos.

Exatamente as 9h30min a juíza Márcia Wrasse abriu a sessão. Os advogados de defesa e o promotor Pedro Rui da Fontoura Porto escolheram quatro homens e três mulheres para compor o conselho de sentença. Dos nove jurados arrolados para depôr, apenas três foram ouvidos em plenário.

A defesa dos réus foi feita pelos advogados Ezequiel Vetoretti (Salete), Jean Severo (Antônio) e Gustavo Bretana (Márcia e Figueiró).