fechar

Ex-morador de Venâncio é morto em confronto com a polícia em Santa Catarina

Homem tinha 44 anos

por: Alvaro Pegoraro
Data: 17/02/2017 | 07:41

Um dos homens mortos no confronto entre agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) e uma quadrilha de assaltantes de banco, que aconteceu na madrugada de sábado, 11, em Santa Catarina, já morou em Venâncio Aires. Lúcio Mauro Lau, 44 anos, foi atingido por diversos tiros, quando ele e outros dez comparsas tentavam arrombar uma agência do Banco do Brasil da cidade de São João Batista, no Sul catarinense.

Foto: Alvaro Pegoraro/Reprodução / Folha do MateLúcio foi morto a tiros
Lúcio foi morto a tiros

Além de Lau, mais duas pessoas foram mortas, uma foi baleada e outras três acabaram presas em flagrante. A polícia suspeita que além do líder do bando - identificado como um gaúcho, mas que não teve a identidade revelada -, outros três membros da quadrilha conseguiram fugir e são procurados.

Segundo informado pela polícia, com o bando foram apreendidos dez armas pesadas, entre fuzis, metralhadoras e pistolas. Também foi recolhida farta munição, diversas 'bananas' de dinamite, além de um colete balístico, uma jaqueta da Polícia Civil gaúcha e miguelitos. O armamento e demais materiais foram apreendidos dentro de um Citroën C4, abandonado na cidade litorânea de Sombrio, bem próximo da divisa com o Rio Grande do Sul. A suspeita da polícia é que o líder do bando estava com o veículo e o armamento.

A quadrilha é responsabilizada por, no mínimo, seis ataques a bancos nos últimos tempos, no RS e em Santa Catarina. Entre eles, os praticados nas cidades de Nova Hartz e Parobé.

Na ação de sábado, pretendiam explodir a agência do BB. Porém, a polícia sabia da ação e montou um forte esquema para prender o bando. No entanto, como já era previsto pelos policiais, houve confronto e além de Lau, foram mortos Anderson da Silva Santos e Marcelo de Oliveira Flores da Silva, todos moradores do Estado. O assaltante baleado é Jaider Torrão Ferreira, também do RS.

PROCURADO
Natural de Restinga Seca, Lau viveu em Venâncio Aires até por volta dos 13 anos. Nesta época, lembrou o inspetor Paulo Ullmann, já tinha envolvimento em pequenos furtos. "Mas decidiu sair daqui e ir morar com a avó, em Porto Alegre, e nunca mais tive notícias de que tenha voltado para cá", observou o chefe do Setor de Investigações (SI).

Lau estava foragido desde a tarde do dia 31 de dezembro de 2016, após permanecer pouco mais de um dia no regime semi-aberto do Instituto Penal de Charqueadas (IPC). Antes, cumpriu pena na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc), após ser preso em Porto Alegre, durante assalto a uma joalheria.