fechar

Ação do MP e da Brigada prende policial civil e suspeitos de tráfico em Venâncio

BM e MP cumprem 11 mandados em Venâncio Aires e dois em Lajeado

por: Alvaro Pegoraro
Data: 19/01/2016 | 08:11  Atualizado: 19/01/2016 | 09:51

Brigada Militar de Venâncio Aires, juntamento com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), auxiliados por homens do Batalhão de Operações

Foto: Ministério Público / Divulgação .

Especiais (BOE) e o cão farejador Nina, cumprem mandados de prisão, busca e apreensão nas cidades de Venâncio Aires e Lajeado na manhã desta terça-feira, 19. A Operação Barbeiro investiga a atuação criminosa do Policial Civil Roberto Chagas, que cobrava por informações privilegiadas para pessoas ligadas a prática de jogos de azar, tráfico de drogas, receptação e estelionato.

Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do MateZé Colmeia foi preso em casa
Zé Colmeia foi preso em casa

O policial foi preso e encaminhado à Santa Cruz do Sul. Outra prisão é a de Luís Cálvio Ferreira, o Zé Colmeia, 48 anos. Na casa dele e de um familiar, no bairro Morsch, foram apreendidas drogas, munição e um revólver.

De acordo com o capitão Fábio Bilhar, outras mandados seguem sendo cumpridos e já se tem informações da apreensão de mais armas e de anabolizantes. 

OS CRIMES

Conforme as investigações, iniciadas no primeiro semestre de 2015, o suspeito de Venâncio Aires cobrava R$ 500 mensais do chefe de uma organização criminosa ligada ao jogo de azar, para lhe informar dados restritos ao sistema informatizado de segurança pública do RS. Ele também informava sobre o andamento de investigações realizadas por colegas de Delegacia sobre o negócio do seu corruptor e sobre possíveis concorrentes investigados.

O Policial Civil também é suspeito de corrupção, tráfico, prevaricação e colaboração com associação criminosa, pois prestava informações sobre a movimentação policial para acobertar a atividade e evitar que traficantes fossem presos em flagrante. Para tanto, segundo revelam as investigações do MP, ele cobrava valores que variavam de R$ 500 a R$ 200 mensais.