fechar

RGE confirma investimento de R$ 5 milhões no interior

Concessionária informa que estão previstos, para 2019, cerca de R$ 5 milhões para ações de manutenção e melhoramento da rede do interior de Venâncio Aires.

por: Letícia Wacholz
Data: 08/02/2019 | 10:27
Fenachim
Foto: Arquivo / Folha do MateSubstituições de postes de madeira por concreto seguem no plano de manutenção da empresa
Substituições de postes de madeira por concreto seguem no plano de manutenção da empresa

Ficar dias sem energia já virou uma cena frequente para quem mora no interior de Venâncio Aires, especialmente nas localidades mais distantes, como a região serrana. Na terça-feira, 5, quando entravam no quarto dia sem luz, moradores de Linha Marmeleiro chegaram a bloquear a ERS-422 em forma de protesto. A mobilização levou vereadores e entidades a se reunirem com a RGE nesta semana e cobrarem agilidade nos serviços.

Nas reivindicações, duas perguntas foram recorrentes para os representantes da concessionária: porque demora tanto para o restabelecimento acontecer e qual o plano de trabalho da RGE para melhorar e agilizar os atendimentos?

A reportagem da Folha do Mate contatou a RGE para dar estas respostas aos moradores do interior e recebeu, ontem, a informação de que estão previstos cerca de R$ 5 milhões para ações de manutenção e melhoramento da rede no interior de Venâncio Aires, ao longo de 2019.

A assessoria de imprensa da RGE destacou que a empresa está realizando obras em toda a área de concessão, mas fez um anúncio específico para a região serrana de Venâncio Aires, o que inclui a localidade de Linha Marmeleiro. 'Especificamente para a região da Serra de Venâncio Aires (Marmeleiro) temos previsto para 2019 a inspeção de 360 quilômetros de rede, a troca de postes de madeira e melhorias da rede durante o ano de 2019', informa a empresa.

Ao relatar a sistemática de trabalho, a RGE observou que somente na semana entre os dias 27 de janeiro e 2 de fevereiro, foram substituídos 60 postes na região de Linha Marmeleiro.


 916 é o número de postes de madeira que foram substituídos em 2018.

Mais de R$ 8,4 milhões foram investidos em ações de expansão, melhoramento e manutenção da rede elétrica no município de Venâncio Aires, ao longo do ano passado.

20 é o número de equipes que realizam diariamente o trabalho em Venâncio Aires. Em situações de contingência, segundo a RGE, profissionais de toda a região são acionados, conforme necessidade de demanda.


 AGILIDADE

Questionada sobre a melhoria e agilidade nos atendimentos, a RGE disse que possui um planejamento de manutenção integrado, que envolve diversas ações, de várias áreas da empresa, para manter o fornecimento de energia, melhorar os índices de qualidade, garantir a segurança da população e das instalações e otimizar os recursos disponíveis.

Este plano de manutenção, segundo a empresa, é composto de ações visando atender as obrigações regulatórias, que são aquelas definidas pelo contrato de concessão e por resoluções normativas emitidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Anaeel). As ações, segundo a RGE, são definidas no início de cada ano, podendo sofrer ajustes ao longo dos meses, se houver a necessidade.

Além da manutenção estrutural da rede, a RGE observa que também realiza ações de reparação imediata, através da identificação de falhas reincidentes, podas e limpeza de faixa de servidão, quando são retiradas árvores e galhos da vegetação que possam vir a causar o desligamento da rede de energia.

Folha pergunta. RGE responde

O que justifica a demora, algumas vezes, de 4 a 5 dias?

"Nesta semana tivemos fortes ventos em temporais no final do dia 31/01/2019 e 01/02/2019 no qual geraram vários danos na rede de energia elétrica. Em situações de temporal, com ventos ou rajadas pode ocorrer a queda de árvores ou objetos sobre a rede, tracionando os cabos e causando a ruptura de postes, o rompimento de cabos e a queima de transformadores. Estes eventos, além de maior dificuldade para recomposição, muitas vezes acontecem em quantidade mais expressiva, fazendo com que a RGE tenha que priorizar atendimentos que atendam instalações críticas, como hospitais, estações de bombeamento de água e grande número de pessoas, em detrimento de outros pontos sem energia. Também ocorrem casos isolados que a distribuidora não tomou conhecimento, cujo período de interrupção acaba se prolongando."