fechar

Plano financeiro quer recuperar dívida de R$ 10 milhões do HSSM

por: Débora Kist
Data: 04/01/2019 | 06:30

Depois de determinar R$ 23 milhões em contrato entre Prefeitura de Venâncio Aires e Hospital São Sebastião Mártir (HSSM) para despesas com Pronto Atendimento (PA), internações hospitalares, hemodiálise e UTI, outro valor milionário estará em pauta na área da Saúde do município ao longo do ano: a dívida do hospital.

Atualmente, são cerca de R$ 10 milhões em débitos com bancos. A informação é do administrador do HSSM, Fernando Branco. Segundo ele, o valor é um acumulado de muitos anos. 'Esse passivo não é algo recente. Isso aconteceu, em parte, porque em anos anteriores os repasses não foram feitos na integralidade ou não houve reajustes nos valores. Aí se recorreu aos bancos', explica.

Com os empréstimos, vieram também os juros. E é sobre eles que um plano de recuperação financeira deve ser pensado para 2019. 'Já vamos começar a renegociar esses juros e quem sabe conseguimos baixá-los'.

Uma das alternativas, conforme Fernando Branco, é se valer de uma medida provisória editada em novembro sobre o uso do Fundo de Garantia em operações de crédito destinadas a hospitais. 'Poderemos renegociar com a Caixa para tentar baixar pela metade o valor dos juros.' Só com a Caixa Econômica Federal, a dívida do HSSM chega a R$ 7 milhões.

EMENDAS
Outra alternativa será a busca de emendas de custeio em Brasília. Nesse ponto, Executivo e Legislativo também serão peças importantes no processo. 'Os deputados têm verbas para hospitais, então vamos trabalhar nesse sentido. Se houver liberação para a Prefeitura e a Câmara aprovando, aos poucos vamos conseguindo abater os valores', destacou o administrado do HSSM.

Idas à capital federal, aliás, foram mencionadas pelo prefeito Giovane Wickert, nesta semana, durante o ato de assinatura da renovação de contrato com o hospital. A exemplo de 2018, as viagens devem ser repetir em 2019, justamente atrás da liberação de emendas de custeio para o hospital.

CONTAS EM DIA
Mesmo que o valor de R$ 10 milhões 'salte aos olhos' e inicialmente assuste os venâncio-airenses, para Fernando Branco, com experiência de mais de 30 anos em administração hospitalar, se trata de uma situação 'ainda cômoda'. 'Já trabalhei em outros hospitais do porte do São Sebastião com dívidas de R$ 70 milhões. Claro que a gente se preocupa, mas felizmente conseguimos manter tudo, enquanto outros estão parados ou fechando.' Conforme Branco, salários, atendimentos, impostos e fornecedores estão 'em dia'.

Hoje, o custo mensal do HSSM chega a R$ 3,89 milhões, a maior parte comprometida com a folha de pagamento de funcionários e médicos. Por mês, há um prejuízo mensal de quase R$ 290 mil.

 

Foto: Régis Fabris / Arquivo Folha do MateMesmo com dificuldades financeiras, instituição consegue manter atendimentos
Mesmo com dificuldades financeiras, instituição consegue manter atendimentos

'Contrato bom para os dois'

O contrato assinado entre Prefeitura de Venâncio Aires e Hospital São Sebastião Mártir (HSSM), o qual definiu o repasse de R$ 23 milhões em 2019, foi considerado bom para ambos os lados.

Enquanto a Administração Municipal se obriga a correr atrás da máquina e, muitas vezes, arca com dívidas do Estado, conseguiu aumentar em 20% o recurso próprio.

Esse esforço foi bem visto pelo administrador do HSSM, Fernando Branco. Segundo ele, foi possível chegar a um acordo. 'Pelos custos, claro que o ideal seria um pouco mais. Mas como o Estado sempre atrasa, não é fácil para a Prefeitura bancar sozinha. Então chegamos a um acordo e foi muito bom para o hospital.'

Só de Venâncio Aires, serão mais de R$ 8 milhões - valor este que inclui o cerca de R$ 1 milhão previsto para o ano vindo de Vale Verde, Passo do Sobrado e Mato Leitão. Os outros R$ 15 milhões são divididos entre Estado (R$ 4,225 milhões) e União (R$ 10,213 milhões).

DÍVIDA DO ESTADO
O convênio com o HSSM prevê repasses do Estado, naturalmente. Mas ninguém esconde nos corredores Prefeitura e do próprio hospital, a apreensão que isso causa. O motivo é o mesmo de sempre: o atraso em repasses do Governo Gaúcho para o setor da Saúde do Município. Só com o HSSM, segundo Fernando Branco, a soma passa de R$ 1,2 milhão, contabilizando outubro, novembro e dezembro passados.

A esse valor, somam-se os demais repasses previstos para a Prefeitura, para custos com Samu e UPA, por exemplo, e que também estão atrasados. Segundo o secretário de Saúde de Venâncio, Ramon Schwengber, o Estado deve cerca de R$ 5 milhões relativos aos últimos quatro meses de 2018. 'Tomara que o novo Governo consiga repassar esses valores, seja parcelado ou como for. E se conseguir pagar os valores mensais, sem novos atrasos a partir de agora, já será uma grande coisa.'