fechar

Marcas de sensibilidade pelos corredores do hospital

por: Juliana Bencke
Data: 08/03/2019 | 07:00

Quando a técnica em Enfermagem Sue Elen de Azeredo Marques, 34 anos, entra nos quartos do Hospital São Sebastião Mártir (HSSM), leva a bandeja com instrumentos de trabalho, mas, também, um sorriso largo no rosto. 'É bom para os pacientes e os familiares e é bom para a gente. Eles vêm que estamos fazendo o que gostamos. Junto com o crachá e o jaleco branco, temos que carregar o sorriso', considera.

Em cada curativo ou medicação dos pacientes internados na casa de saúde, Sue deixa marcas de gratidão pela profissão que desempenha desde maio de 2017. Trabalhar na área da saúde é a realização de um sonho para ela, que deixou um concurso na Prefeitura de Passo do Sobrado para atuar no Hospital São Sebastião Mártir. 'Pedi exoneração do cargo depois de 12 anos e não me arrependo. O "Bastião" é minha vida. Faço o que amo.'

Foto: Juliana Bencke / Folha do MateApaixonada pela profissão, Sue atua há quase 2 anos como técnica em Enfermagem no HSSM
Apaixonada pela profissão, Sue atua há quase 2 anos como técnica em Enfermagem no HSSM

Formada pela Faculdade Dom Alberto, com bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni), Sue enfrentou uma rotina atribulada para conquistar o diploma: conciliava as 40 horas de trabalho semanal como auxiliar de serviços gerais, as aulas no turno da noite, em Santa Cruz do Sul, e os momentos com o marido Rogério Raasch, 38 anos, e os filhos Iasmin e Henrique, hoje com 6 e 11 anos.

Quando se formou, em 17 de setembro de 2016, a moradora de Passo do Sobrado colocou as mãos em um diploma conquistado com a ajuda de muita gente. 'Meu marido sempre foi meu porto seguro, tive muita ajuda das minhas irmãs e da minha mãe e de colegas como a Susete do Nascimento, que foi uma inspiração', enfatiza.

A irmã, Angelita, que faleceu na mesma semana em que Sue foi contemplada com a bolsa de estudos, e o pai que partiu três meses antes da formatura, foram seus exemplos e grandes motivadores para a busca da qualificação. 'Toda vez que pensava em desistir, pensava neles.'

MOTIVAÇÃO

Outra motivação para o trabalho é que o Hospital São Sebastião salvou a vida da filha, quando ela teve insuficiência respiratória. 'Hoje, posso retribuir esse cuidado no meu trabalho', ressalta a técnica em Enfermagem, que na primeira semana no HSSM atendeu uma criança com o mesmo problema de Iasmin. 'Revivi tudo e o que fizeram pela minha filha, fiz por aquele menino', conta, emocionada.

A cada boa ação para um paciente deixamos uma marca com ele e levamos com a gente. Se colocar no lugar do outro e ser humilde é o que prezo muito. Temos que fazer o bem sem olhar a quem.'
SUE ELEN DE AZEREDO MARQUES
Técnica em Enfermagem

Para Sue, além do cuidado com os pacientes, o auxílio aos familiares é uma forma de amenizar a dor de quem está internado no hospital. Por isso, ela não poupa na delicadeza e nos sorrisos, que garantem uma série de elogios entre os usuários da casa de saúde.

'Eles se tornam da família. Queremos ver os pacientes e os acompanhantes saírem bem. Cuido deles como gostaria que cuidassem dos meus familiares. Os elogios são um incentivo para continuar.'

APOIO E INSPIRAÇÃO

Para Sue Elen, não é possível esquecer da importância de todos os colegas do Hospital São Sebastião Mártir, em sua trajetória. Ela destaca o auxílio da coordenadora de Enfermagem Lisane Giselda Emmel e das enfermeiras Aline Schwendler e Renata Gassen Bittencourt.

Confira mais histórias do especial Dia da Mulher

>> Dia da Mulher: de mãos dadas em busca de mudanças culturais

>> Um grupo para mamães recém-nascidas

>> Divas do SUS buscam o bem-estar e levam energia por onde passam

>> Grupo de voluntárias tricota a esperança

>> Real Futsal: a força da mulher nas quadras

>> Viagem entre amigas, uma parceria duradoura