fechar

Doação de R$ 443 mil viabiliza tratamento do pequeno Antony

por: Débora Kist
Data: 23/01/2019 | 11:33  Atualizado: 23/01/2019 | 15:14
Fenachim
Foto: Débora Kist / Folha do MateEvento ocorreu nesta manhã na Prefeitura
Evento ocorreu nesta manhã na Prefeitura

O nome Antony ganhou as redes sociais, as manchetes e as conversas entre os venâncio-airenses nas últimas semanas. Centro de uma campanha para viabilizar um tratamento médico na Tailândia, o menino de quase quatro anos, agora vai, graças a uma rápida mobilização, ter essa oportunidade.

A notícia foi dada hoje, exatamente um mês após se iniciar uma campanha online para arrecadar recursos, rifas começarem a circular pelo município e galinhadas serem organizadas. Através da doação de pessoas ligadas a uma empresa de fora do município e que não quer ser identificada, foram garantidos R$ 443 mil reais para o tratamento com células-tronco de Antony Sackser de Mello.

A primeira pessoa que soube da confirmação foi a primeira-dama de Venâncio, Cristiane Wickert. Segundo ela, foi no último domingo, 20, quando contatou pessoas conhecidas e ligadas a essa empresa. 'É uma empresa de fora, com várias filiais pelo Brasil, mas que tenho uma ligação, e com muita gente envolvida no município e na região. Em menos de 24 horas conseguimos movimentar esse valor.'

Ainda conforme a primeira-dama, uma das motivações para tentar resolver a situação com urgência, foi possibilitar que a mãe de Antony, Juliana Andréia Sackser, 34 anos, pudesse acompanhar o filho até o país asiático. Juliana está grávida de seis meses e nas próximas semanas estaria impossibilitada de viajar de avião. 'Claro que o pai [Marcos Ismael de Mello, 39 anos] vai acompanhar. Mas a mãe precisa ir junto', destacou Cristiane.

A VIAGEM: PARTE 1
A confirmação do recurso irá possibilitar, já nos próximos dias, que Antony e os pais viajem até a Tailândia. O dia ainda não está bem certo, mas tende a ser na próxima semana. A família deve ficar cerca de três semanas no Better Being Hospital (BBH) de Bangkok, onde o menino começará diretamente o tratamento. Ou seja, nada de consultas ou entrevistas prévias.

'A aplicação de células-tronco na medula começam logo. Nesse meio tempo, o Antony passará por exames frequentes, para acompanharem a evolução dele', explica Juliana Andréia Sackser. Depois dessa primeira ida à Tailândia, o menino deverá ir novamente, em cerca de seis meses, ao país asiático, já que o tratamento está dividido em duas etapas.

ENTENDA

A Folha do Mate divulgou a mobilização para arrecadar os recursos para tratamento de Antony na semana passada. O menino, que completa 4 anos em fevereiro, teve lesões cerebrais por conta de um encefalite viral, em 2017, lesão que atingiu a parte da frente do cérebro. Com a falta de oxigenação, ele perdeu a coordenação motora.

Em dezembro passado, a família iniciou uma campanha para arrecadar R$ 320 mil para o tratamento na Tailândia, com objetivo de recuperar os movimentos e o desenvolvimento do menino, através da aplicação de células-tronco na medula do filho.

Desde que teve a encefalite viral, foram semanas e até meses em diversos hospitais. O maior tempo foi no Hospital de Clínicas, em Porto Alegre, de onde voltou em agosto de 2017. Desde então, a família destaca que a evolução é grande: Antony abre os olhos, reage a estímulos como cócegas e mexe as mãos, ainda que involuntariamente. Atualmente, realiza sessões de fisioterapia e equoterapia, além de ter acompanhamento médico e fazer acupuntura.

Valor arrecadado a mais será repassado para a UTI Neonatal

Quando dizem que uma coisa leva a outra nas correntes de solidariedade, o anúncio de hoje motivou outra bela iniciativa. E ela veio como uma forma de dizer 'muito obrigado' por parte da família Sackser/Mello.

Como foram confirmados R$ 443 mil, mais cerca de R$ 26 mil já arrecadados desde o início da campanha com a vaquinha online e as rifas, o valor ficará bem acima do necessário para o tratamento de Antony (R$ 320 mil). Assim, Juliana e Marcos decidiram repassar R$ 135 mil para o projeto de implantação da UTI Neonatal do Hospital São Sebastião Mártir. 'Quando o Antony adoeceu, nós precisamos de UTI para crianças e Venâncio não tinha. Então vamos continuar agora por essa campanha', destacou Juliana Andréia Sackser.

CAMPANHA SEGUIRÁ
Embora já tenha o valor assegurado, a mobilização iniciada para o tratamento do menino continuará. Justamente para dar seguimento, também, à campanha da UTI Neonatal. Dessa forma, a vaquinha online permanece, as rifas seguem circulando e, no dia 9 de fevereiro, haverá uma galinhada no bairro Macedo. Mais informações pelo 9 9772 9441.

Da mesma forma, entidades venâncio-airenses, que já estavam se organizando em prol da história de Antony, manterão as iniciativas. Entre elas, a Liga das Escolas de Samba de Venâncio Aires. Segundo a vice-presidente, Jaqueline Gonçalves dos Santos, estão previstas ações durante os ensaios das escolas e mesmo para a noite da escolha da nova corte do Carnaval, dia 9 de fevereiro.

.Conheça a história de Antony aqui.