fechar

A coroação do sonho de uma década

por: Cassiane Rodrigues
Data: 17/11/2018 | 09:00
Foto: Cassiane Rodrigues / Folha do MateCom a coroa, rainha eleita comemora reinado que sonhava desde a 10ª edição da festa
Com a coroa, rainha eleita comemora reinado que sonhava desde a 10ª edição da festa

Era pouco depois das 7h da manhã do dia 1º de novembro, quando Lavínia Wachholz Naue, 20 anos, acordou. A quinta-feira, véspera de feriado, podia ser como qualquer outra - quando escolhe ficar na cama o máximo de tempo possível para depois ir para as atividades diárias - mas, aquela, seria especial. Como já é habitual, comeu alguma coisa, se arrumou e seguiu para o estágio.

A estudante de Arquitetura e Urbanismo exerce os aprendizados da sala de aula no escritório da arquiteta Gabriela Konrath, no Centro de Venâncio. Talvez aquele não seria um bom dia para trabalhar, mas ela preferiu se ocupar com outras coisas a sofrer pela ansiedade. Afinal, aquele seria o dia da escolha do trio de soberanas da 15ª Festa Nacional do Chimarrão (Fenachim).

Ao meio-dia, chegou em casa, almoçou e por alguns minutos descansou um pouco. Aquele não era um dia comum. Desejos de boa sorte chegavam no celular a todo momento. A ligação para a mãe, Adriana Wachholz, 47 anos, para saber como estava a organização da torcida no Ginásio Poliesportivo, também era frequente. Depois do descanso, era hora de começar a preparação. O corredor de casa foi útil nas últimas semanas para ensaiar para o desfile que aconteceria logo mais a noite. O texto de apresentação também foi repassado afinal, segundo ela, 'não podemos fazer qualquer coisa importante sem antes nos prepararmos'.

Foto: Cassiane Rodrigues / Folha do MateRoupa de escoteira é guardada com carinho pela jovem
Roupa de escoteira é guardada com carinho pela jovem

No meio da tarde, era hora de ir buscar o vestido que seria usado na grande noite e, em seguida, ir ao salão para a produção do cabelo e maquiagem. Às 19h deveria chegar ao Parque do Chimarrão para o primeiro compromisso. 'Era 18h50min quando cheguei no ginásio, eu estava ansiosa pois não atrasei em nenhum dos compromissos até aquele momento, não seria no último que isso aconteceria', lembra.
Era o início do fim de uma trajetória de preparação, estudo e dedicação. Era hora de responder às perguntas dos jurados, de desfilar, se apresentar ao público, de mostrar a que veio. Foi uma noite intensa, de sorrisos e abraços, de nervosismo e confiança.

Pouco antes das 2h da manhã de sexta-feira, 2, o anúncio foi feito. Todo o esforço e dedicação de Lavínia, naquele momento, estava sendo coroado. Ela foi anunciada como rainha da 15ª Fenachim, título que almejava desde a 10ª edição. 'Minha família sempre me apoiou e me alertava que eu tinha chances, mas tinha que estar preparada caso não conseguisse', comenta. Naquele momento, o sonho virou realidade, a incerteza deu lugar a alegria.

Quem é a rainha da 15ª Fenachim

Foto: Arquivo Pessoal / DivulgaçãoLavínia aprecia desde a infância o gosto pelo chimarrão
Lavínia aprecia desde a infância o gosto pelo chimarrão

Lavínia é filha de Adriana Wachholz e Luciano Naue. É irmã do Luis Felipe, 14 anos, do Otávio Augusto, 1, e do Davi Miguel, que ainda está na barriga da madrasta, Marcela, e deve nascer em fevereiro. Namorada do Gabriel, 22 anos, ela mora com a mãe, o irmão e o padrasto Cássio em um apartamento do Centro.

Começou a trajetória estudantil na escolinha Balão Mágico e depois no Colégio Bom Jesus, onde concluiu o ensino médio. Durante o período do colégio participava dos Jogos Escolares de Venâncio Aires (JEVA), onde praticava handebol e vôlei. 'Futsal eu ia porque gostava dos jogos, mas sempre ficava no banco', recorda. Por cinco anos foi integrante do Interact, entidade ligada ao Rotary Club Venâncio Aires. 'Foram os meus avós maternos, Odilo e Vera, que me incentivaram a entrar para um grupo de serviço e pretendo continuar a servir a comunidade', comenta.

Em 2012, começou a fazer parte do Grupo de Escoteiros Arés, onde adquiriu conhecimentos, fez amizades e oportunizou a viagem mais longa feita até hoje. Lavínia embarcou junto com um grupo de Santa Cruz do Sul para o Japão, em 2015, para o 23º Jamboree, um acampamento mundial de grupos escoteiros. 'Fiz muitas amizades e aprendi muito. Depois do acampamento viajamos pelas redondezas e conhecemos o Havaí, foi incrível', conta. A rainha da Fenachim já foi Broto Sova 2013 e representou Venâncio Aires na disputa estadual, onde recebeu o título de 1ª Princesa do Broto RS.

Foto: Cassiane Rodrigues / Folha do MateAtenta aos detalhes, Lavínia guarda recordações importantes da sua trajetória
Atenta aos detalhes, Lavínia guarda recordações importantes da sua trajetória

Rotina 

Hoje, a rotina da jovem se resume em estágio, aulas na Univates à noite e, aos finais de semana, se dedica ao convívio com a família, amigos e namorado. Atenta aos detalhes, Lavínia fala com amor do curso que escolheu. 'Na arquitetura a gente trabalha com a realização de sonhos. Cabe a nós colocar tudo o que o cliente imagina e sonha no papel', destaca. Há alguns meses, a preparação para o concurso de soberanas foi prioridade no dia a dia da jovem e, agora, a divulgação da festa, que teve início já no final de semana seguinte a escolha. 'Visitamos algumas comunidades e posso dizer que fomos muito bem recebidas. O carinho do público é imensamente gratificante, todos querem tirar fotos conosco e nos abraçar, ser reconhecida na rua com um sorriso e ouvir "torci muito por ti" ou "foi muito merecido" faz tudo valer a pena', completa.