fechar

Venâncio pode ter GNV ainda em 2018

por: Carlos Dickow
Data: 13/06/2018 | 07:00

O proprietário do Posto Chama, Adriano Reginatto, confirmou ontem que tem tratativas avançadas para ser o primeiro estabelecimento do ramo em Venâncio Aires a oferecer o Gás Natural Veicular (GNV). Ele foi procurado por representantes da Sulgás que, acompanhados do secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Nelsoir Battisti, esclareceram que o posto, localizado às margens da RSC-287, é o mais estratégico para vender o combustível. 'Está 99% certo, mas precisamos ter cautela, pois vamos depender de negociações e licenças da Fepam, além de deixar tudo na ponta do lápis', disse.

De acordo com Reginatto, os representantes da Sulgás afirmaram que têm interesse em investir na região e que o seu estabelecimento, por estar na RSC-287 e próximo da RSC-453 e da área urbana da Capital do Chimarrão, seria o mais indicado para oferecer o combustível. 'Em Santa Cruz, eram dois postos oferecendo e não deu certo. Hoje, quem tem o GNV é o Nevoeiro, ali no viaduto Fritz e Frida', contou. Se tudo correr como ele espera, antes do fim do ano o gás pode estar à venda. 'Nos reunimos com os taxistas, para passar a informação, e eles ficaram satisfeitos com a possibilidade', argumentou.

O secretário Nelsoir Battisti declarou que a Prefeitura vai dar suporte ao proprietário do Chama para que as questões burocráticas e ambientais sejam vencidas e o posto tenha GNV à disposição o mais brevemente possível. 'Estamos trabalhando há um bom tempo para trazer o combustível para nossa cidade e, pelo cenário atual, é muito provável que isso seja concretizado antes do fim do ano. Não é um processo comum, mas também teremos apoio da Sulgás', afirmou. Conforme ele, a Prefeitura, que tem 51 veículos leves na sua frota, deve instalar o sistema de cilindros para abastecimento com gás natural.

'O GNV custa, em média, 30% menos que a gasolina e, além disso, tem desempenho 20% maior. Fiquei impressionado com as informações que foram apresentadas pelo pessoal da Sulgás e espero que possamos ter sucesso neste investimento, que vai beneficiar a comunidade.'
ADRIANO REGINATTO
Proprietário do Posto Chama, que deve ter o GNV ainda este ano

VALORES - No caso da Prefeitura, a conversão para GNV de todos os veículos leves demandaria R$ 229.500,00 - cada procedimento sai, em média, por R$ 4,5 mil. 'O investimento é recuperado em um ano, pois hoje gastamos R$ 1 milhões em combustível para os veículos leves, e passaríamos a gastar em torno de R$ 750 mil', calculou Battisti. O Executivo também já trouxe a Venâncio Aires um representante de empresa especializada na instalação de equipamentos de GNV. De acordo com o secretário, com a criação da demanda, o empresário se dispõe a abrir uma oficina na Capital Nacional do Chimarrão para garantir não apenas o serviço, mas também a assistência. 'Ele já tem oficinas em Santa Cruz e Lajeado', revelou.

Foto: Divulgação / Folha do MateTaxistas participaram de reunião na segunda-feira, 11, para tomarem conhecimento do investimento e receberem informações sobre as vantagens do gás natural
Taxistas participaram de reunião na segunda-feira, 11, para tomarem conhecimento do investimento e receberem informações sobre as vantagens do gás natural

O cilindro mais comum para GNV é o de 15 metros cúbicos, o que dá uma autonomia de pelo menos 180 quilômetros. Há quem prefira a instalação de dois cilindros de 7,5 metros cúbicos, pelo fato de que o equipamento fica no porta-malas e é levado em conta o espaço que vai sobrar.

133
é o número de veículos que já contam com sistema de GNV instalado em Venâncio Aires, segundo levantamento da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo.

GÁS NATURAL

1 - O metro cúbico do Gás Natural Veicular (GNV) custa, em média, R$ 3. Segundo o secretário Nelsoir Battisti e o empresário Adriano Reginatto, com um metro cúbico é possível circular por até 18 quilômetros, dependendo do veículo. Com um litro de gasolina, que custa R$ 4,79, em média, a autonomia é de 13 quilômetros.

2 - Para oferecer o combustível, o Posto Chama terá que contratar carretas para transporte do GNV. Uma estará sempre no posto e servirá para armazenar o produto. Equipamentos específicos serão instalados para que os veículos sejam abastecidos.

'Temos convicção de que vai dar tudo certo e teremos GNV em breve na cidade. Temos que ter um pouco de cautela, mas a verdade é que a notícia agradou muita gente. Certamente teremos demanda elevada de instalação dos cilindros assim que o combustível for oferecido.'
NELSOIR BATTISTI
Secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo