fechar

Venâncio pode receber nova ambulância do Samu

por: Débora Kist
Data: 06/01/2019 | 08:00

Parece que foi ontem, mas o tempo passou rápido e faz mais de cinco anos que a ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) Avançado começou os atendimentos em Venâncio Aires. Essa meia década de uso é considerada 'perecível' para o Ministério da Saúde e, por isso, uma renovação na frota em todo Brasil deve ocorrer nos próximos meses.

Por uma portaria publicada em dezembro passado, Venâncio Aires aparece na lista de estados e municípios elegíveis para o processo de doação de unidades. 'Doação' porque o município não será o comprador e os veículos serão repassados pelo Governo Federal, segundo informou o secretário de Saúde de Venâncio, Ramon Schwengber.

De acordo com informações da auxiliar administrativo da Secretaria de Saúde, Rosangela Ellert, em 2018 foi solicitada a habilitação do município para fazer a troca da unidade de Suporte Avançado. 'A publicação da portaria torna pública a lista de municípios que são elegíveis. Já foi feita a licitação por parte do Ministério [da Saúde] e, conforme a empresa vencedora for entregando, será pela ordem cronológica de uso dos veículos.'

Foto: Alvaro Pegoraro / Arquivo/Folha do MateVeículo de Suporte Avançado completou cinco anos de uso em julho de 2018
Veículo de Suporte Avançado completou cinco anos de uso em julho de 2018

O Samu Suporte Básico começou a atender em Venâncio Aires em dezembro de 2010. Essa primeira ambulância foi substituída em janeiro de 2016. Já o veículo do Samu Avançado, que deve ser trocado conforme a portaria do Ministério da Saúde, completou cinco anos em julho de 2013.

O QUE DIZ A PORTARIA
A portaria foi publicada dia 27 de dezembro de 2018 e selecionou 320 municípios brasileiros que estão incluídos no processo de doação. Do Rio Grande do Sul, são 30 cidades.

Pela normativa, a entrega das ambulâncias será realizada exclusivamente para renovação de frota de veículos cadastrados no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES) e habilitados com cinco ou mais anos de uso e sem renovação.

Será utilizado o critério de idade da frota, em anos, conforme o ano de habilitação do veículo para início da contagem do tempo de utilização. O texto diz ainda que o veículo renovado deverá ser destinado prioritariamente a suprir a necessidade de reserva técnica, que é 30% da frota habilitada.