fechar

UTI Neonatal em 2020 é a meta da Administração

por: Carlos Dickow
Data: 12/04/2019 | 06:30
Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do MateMobilização pode garantir funcionamento da UTI Neonatal do Hospital São Sebastião Mártir a partir de 2020
Mobilização pode garantir funcionamento da UTI Neonatal do Hospital São Sebastião Mártir a partir de 2020

A meta da Administração Municipal de Venâncio Aires, bem como da Associação Pró-UTI Neonatal do Hospital São Sebastião Mártir (HSSM), é ver o setor em funcionamento no próximo ano. Ontem, o prefeito Giovane Wickert reiterou a intenção de buscar os recursos necessários para disponibilizar o serviço na Capital Nacional do Chimarrão a partir de 2020, e a presidente da associação, primeira-dama Cristiane Wickert, compartilha deste 'sonho'. Em Brasília, onde participou da programação da XXII Marcha em Defesa dos Municípios, Wickert reforçou aos deputados federais Marcelo Moraes (PTB) e Heitor Schuch (PSB) - cada um acenou com indicação de emenda parlamentar no valor de R$ 1 milhão para a implementação da UTI Neonatal - que a mobilização segue para o atendimento da demanda prioritária.

Os R$ 2 milhões sinalizados por Moraes e Schuch garantiriam, de acordo com o prefeito, a compra de equipamentos e estruturação da UTI. Além disso, lembrou o chefe do Executivo, são necessários mais R$ 2 milhões, aproximadamente, para a manutenção do setor durante o próximo ano. 'Até que seja feito o credenciamento junto ao Estado e à União, precisaremos de recursos para garantir que a UTI siga operando. Acreditamos que a partir de 2021 teremos repasses das duas esferas, o que pode nos assegurar um equilíbrio e o funcionamento natural do setor', esclareceu. O prefeito argumentou que o Lions Internacional está empenhado na busca de 75 mil dólares (cerca R$ 400 mil), que serão destinados à implementação, e que várias outras iniciativas estão sendo deflagradas para completar a arrecadação necessária.

PROJETO

A primeira-dama Cristiane Wickert informou ontem que a associação, juntamente com a direção do HSSM, já encaminhou a contratação do projeto executivo da UTI Neonatal. O valor deve ser de até R$ 35 mil e a previsão é de que o setor tenha dez leitos, pelo menos três ou quatro deles destinados a pacientes de Venâncio Aires e, os demais, disponibilizados mediante regulação estadual. Segundo Cristiane, a média mensal de internações de bebês prematuros ou que nascem com algum problema de saúde em Venâncio Aires varia de três a quatro crianças. Nestes casos, é preciso encaminhá-los a município que dispõem de UTIs neonatais e pediátricas, muitas vezes atendendo a determinações do Judiciário. 'Estamos firmes no propósito de fazer acontecer. Nossa rede de solidariedade é cada vez maior', destacou ela.

CAMPANHA NA FENACHIM

1 A mobilização pró-UTI Neonatal ganhará visibilidade durante a 15ª Festa Nacional do Chimarrão (Fenachim). Um estande exclusivo da campanha será montado no Chimarródromo, bem ao lado do espaço destinado ao Centro de Atendimento ao Turista (CAT).

2 O polvo, símbolo da campanha 'Envolva-se', será personagem presente no local. Artesãos locais estão produzindo peças para serem distribuídas entre as pessoas que contribuírem com a iniciativa. Camisetas alusivas à mobilização também devem ser confeccionadas.

3 Outra ação será o 'Livro Ouro da UTI Neonatal', que será criado para que qualquer pessoa, física ou jurídica, possa colaborar com a implementação do setor. A primeira-dama Cristiane Wickert também espera por doações por meio do Imposto de Renda.

'Temos convicção de que conseguiremos arrecadar os valores necessários para a implementação da UTI Neonatal. O espaço já está disponível, no hospital, e isso descomplica um pouco o processo, pois não precisamos fazer uma obra desde o início. No mais, teremos que vencer as questões burocráticas.'
CRISTIANE WICKERT
Primeira-dama e presidente da Associação Pró-UTI Neonatal do Hospital São Sebastião Mártir (HSSM)