fechar

Superando desafios, Kelly ganha sua primeira bicicleta

As primeiras pedaladas da jovem Kelly Eggers, que possui limitações físicas, ocorreram na última semana e marcam um novo ciclo de vida para a menina

por: Guilherme Siebeneichler | Edição: Fernando Uhlmann
Data: 14/06/2014 | 07:30
Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do MateKelly e a mãe, Loiva, passeiam de bicicleta há duas semanas
Kelly e a mãe, Loiva, passeiam de bicicleta há duas semanas

O fato de aprender a andar de bicicleta é algo que marca a vida de todos. As primeiras pedalas da jovem Kelly Eggers, 20 anos, foram ainda mais especiais, e deixam efeitos não somente na vida dela, mas também de toda a família. Com uma bicicleta adaptada, a garota, portadora de limitações físicas, está aprendendo a andar e conhecer novos lugares, outras pessoas, garantindo a ela mais qualidade de vida.

O barulho das rodas e das pedalas são escutados de longe: a felicidade faz uma curva na quadra da sua casa. E ela vem de montada em uma bicicleta.

Após anos em sua cadeira de rodas, com locomoção limitada, um projeto inovador garante a Kelly o prazer de sentir o vento no rosto, e conhecer cantinhos da cidade, nunca antes visitados.

Despertar o sorriso dela, toda vez que vê a bicicleta é o sinal de que alcançamos nosso objetivo

Loiva Eggers
Mãe da Kelly

Para a mãe, Loiva, é a realização de um sonho. Para Kelly, a quebra de uma barreira e a possibilidade de uma nova vida. O desafio de pedalar é superado por todos, certamente com dificuldades. A chance de melhorar a convivência, praticar um exercício e estimular o aprendizado, são alguns aspectos para o sucesso do projeto. Com a bike andando pelo bairro, os vizinhos e amigos sabem que uma batalha a jovem já venceu: perdeu o medo de pedalar junto com os pais ou a babá.

Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do MateBicicleta adaptada surgiu na apae durante consultas com a terapeuta ocupacional Elysa Zart
Bicicleta adaptada surgiu na apae durante consultas com a terapeuta ocupacional Elysa Zart

O projeto foi iniciado dentro da sede da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), onde frequenta e participa de terapia ocupacional. A ideia da bicicleta adaptada surgiu ali, em um dos encontros, e virou realidade em parceria com uma empresa da cidade que comercializa produtos da área.

Ainda em maio, a iniciativa começou a tomar forma e surgiu um triciclo para duas pessoas. Kelly vê a possibilidade de aprender a andar de bicicleta virando realidade. O próximo passo dependeria somente dela acompanhar as pedalas. No futuro, caminhar com as próprias pernas é será o objetivo.


Confira a reportagem completa no flip ou edição impressa de 14 e 15/06/2014.