fechar

Sem repasse do Estado, Samu fica comprometido

Com atrasos, empresa que presta serviço, a Fundação Araucária, segura as pontas para não parar

por: Letícia Wacholz | Edição: Fernando Uhlmann
Data: 14/01/2015 | 07:00

Com três meses de atraso no repasse de recursos do Governo do Estado, equivalentes ainda a gestão de Tarso Genro, o atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em toda a região, pode ficar comprometido.

Por enquanto, a empresa terceirizada para prestar o serviço de atendimento, a Fundação Araucária, segura as pontas e não se sabe até quando o serviço poderá ser mantido. Conforme a secretária-adjunta de Saúde de Venâncio Aires, Rosane da Rosa, o último pagamento para custear o serviço ocorreu em dezembro, mas equivalente ao mês de setembro. O serviço é custeado, uma parte pelo Governo Federal, outra pelo Estado e a ambulância de suporte básico de Venâncio, recebe cerca de R$ 14 mil mensais dos cofres municipais. A situação preocupa os gestores municipais que, ainda não receberam nenhuma previsão de repasse da Secretária Estadual da Saúde.

Confira a reportagem completa no flip ou edição impressa de 14/01/2015.