fechar

Quatro gerações para inspirar Valentina

Família de Vila Palanque comemora a longevidade. Vivências, costumes e hábitos são cultivados da tataravó à tataraneta

por: Rosana Wessling
Data: 12/05/2019 | 08:00

São poucas as famílias que têm o privilégio de reunir cinco gerações, todas do mesmo sexo. Na família de Valentina Machry Eggers, 3 anos, convivem da tataravó à tataraneta e o Dia das Mães passou a ser uma data com um significado especial.

O segundo domingo do mês de maio é uma expectativa, afinal, todos se reúnem na casa de Valéria Maria Ruschel, 73 anos, em Vila Palanque. Ela recebe a mãe Maria Regina Schonarth, 94 anos, a filha Márcia Cristina Ruschel Machry, 52 anos, a neta Marcela Machry Eggers, 31 anos e a bisneta Valentina.


Um dia de casa cheia, de reviver as histórias e brincadeiras de cada época. A pequena Valentina tem motivos suficientes para buscar inspirações ao lado da mãe, avó, bisavó e tataravó. Márcia, a avó de Valentina, relembra que, com a chegada da neta, o Dia das Mães teve outro sentido. 'No Dia das Mães eu tenho mais expectativas do que no meu aniversário. Adoro ver meus filhos e minha neta comigo. Todos vamos na casa de minha mãe, em Palaque, celebrar a data, juntos da avó de 94 anos.'

Foto: Joseline Bitsch / Foto BitschA garotinha Valentina têm o privilégio de conviver com a mãe, avó, bisavó e tataravó
A garotinha Valentina têm o privilégio de conviver com a mãe, avó, bisavó e tataravó

Marcela enfatiza que o Dia das Mães na casa da avó Valéria é tradição e sinônimo de família unida. Ela que é professora e cabeleireira, garante que no domingo o mate doce não pode faltar. 'Um costume que a tata (Maria Regina) passa para todas as gerações. Temos aquele horário sagrado do mate doce.'


Além da bebida, Marcela afirma que não pode faltar o 'sagrado' pudim da avó Valéria. 'Esse pudim é tão tradicional que nas festas de Primeira Comunhão dos netos ela trouxe o doce lá de Vila Palaque até Mato Leitão', recorda Marcela.


As mulheres das cinco gerações trocam costumes, receitas, hábitos e muitas flores. 'Todas nós gostamos muito de ter o pátio ornamentado, cheio de flores e folhagens. A Marcela quando construiu a casa ganhou mudas cactos e bromélias da bisavó. Então o que não falta nos nossos encontros, sem dúvidas, é a troca de mudas, dicas de plantio e a pesquisa sobre as flores. A orquídea é o símbolo de presente na nossa família', destaca Márcia.

Foto: Joseline Bitsch / Foto BitschMaria, Valéria, Márcia, Marcela e Valentina celebram as cinco gerações de mulheres na família
Maria, Valéria, Márcia, Marcela e Valentina celebram as cinco gerações de mulheres na família


Objetos e experiências compartilhadas

São louças, roupas e o carrinho de vime para bebê que passam de geração para geração. Além de itens, costumes também são compartilhados na família de fibra e longeva. Márcia revela que ser mãe de três filhos não é tarefa fácil. As três primeiras gerações sempre conciliaram a maternidade com a agricultura, e quando uma tinha filhos a avó ficava em casa cuidando dos netos. 'Isso é coisa de vó. A gente dá muito mais atenção para os netos porque na época em que éramos mãe a nossa mãe ficava com nossos filhos, porque a gente precisava trabalhar, e isso vai passando. Depois que você é mãe a vida passa a ter outro sentido, mas depois de ser avó muda completamente.'


Sem dúvidas, o sonho delas é ver a família crescer, com saúde e muita união. Ao longo dos anos, tradições foram se remodelando, costumes foram adaptados, a criação da bisavó é completamente diferente da criação da pequena Valentina hoje, mas de cada época, ela consegue conhecer e levar lições para o futuro.


Hoje, Márcia ensina brincadeiras à neta Valentina da época em que ela e os primos passavam os dias na avó Maria Regina. 'A Valentina gosta de explorar a natureza, ter esse contato com a vida do interior. E passamos muito tempo juntas, eu sempre digo, essa brincadeira minha avó me ensinou e mostro pra ela, a Valentina adora', conta a agricultora, aos risos.


Marcela acredita que apesar das mudanças na criação dos filhos, a essência permanece, e juntas, nos momentos em família, cada uma compartilha suas experiências e vivências. 'No Dia das Mães nós sempre nos encontramos. Eu preciso estar com a minha mãe, e hoje entendo que ela precisa estar com a minha avó. Cada uma quer estar com a sua mãe nesse dia tão especial, ter esse vínculo com a família é algo sem palavras. Quando me tornei mãe, passei a enxergar a data com outro olhar.'


'É gratificante, uma benção de Deus ter essas cinco gerações de mulheres unidas. Conseguimos preservar os hábitos e a cultura de cada época, passando todos os ensinamentos para a Valentina.'
MARCELA MACHRY EGGERS
Bisneta de Maria Regina Schonarth

 

Foto: Joseline Bitsch / Foto Bitsch  Um dos hábitos da família é tomar um mate doce, acompanhado de guloseimas no gramado da casa de Valéria, em Vila Palanque
Um dos hábitos da família é tomar um mate doce, acompanhado de guloseimas no gramado da casa de Valéria, em Vila Palanque

 

ENTENDA AS GERAÇÕES


1 Maria Regina Schonarth, 94 anos, é a tataravó de Valentina. Em 25 de junho de 1941 se casou com Nicolau Wilibaldo Schonarth. Juntos tiveram nove filhos, em Vila Palanque: Asta,Valéria, Reinaldo, Romeu, Ana, Paulo, Bernadete, Alceu e Adalberto. A agricultora ficou viúva ainda jovem e foi na fé que buscou motivação para superar as dificuldades.

2 Valéria Maria Ruschel, 73 anos, é a bisavó de Valentina. Ela se casou com Hélio Ruschel, em maio de 1964, e também mora no 6º Distrito. O casal teve quatro filhos: Fernando, Márcia, Marisa e Carlos.

3 A avó de Valentina, Márcia Cristina Ruschel Machry, 52 anos, após o casamento com João Carlos Machry em 1986, fixou residência em Mato Leitão, e tiveram três filhos: Marcela, Letícia e Leonel.

4 A primogênita do casal, Marcela Machry Eggers, 31 anos, casou-se no dia do aniversário da bisavó, em 9 de outubro de 2010, com Rodrigo Eggers. Ela é mãe de Valentina que nasceu em 31 de julho de 2015.

5 Valentina Machry Eggers, de 3 anos, completa a quinta geração feminina da família.

Foto: Joseline Bitsch / Foto BitschAs cinco gerações são extremamente ligadas à fé e, por meio dela, agradecem pela dádiva da vida e família unida
As cinco gerações são extremamente ligadas à fé e, por meio dela, agradecem pela dádiva da vida e família unida