fechar

Puxe papel e caneta e organize suas finanças

por: Letícia Wacholz
Data: 10/02/2018 | 15:00
Foto: Divulgação / InternetTudo começa com a economia de cada dia, como a moedinha recebida de troco na hora de comprar o pão
Tudo começa com a economia de cada dia, como a moedinha recebida de troco na hora de comprar o pão

Quando um novo ano começa, renovam-se as metas e os sonhos ganham um novo fôlego. No entanto, muitos deles exigem investimentos para saírem do papel, afinal, tirando os casos de um ganho inesperado na loteria ou de quem já tem uma poupança "gordinha", muitos desejos das famílias brasileiras dependem de dinheiro. Para alguns, de bastante dinheiro.

O planejamento das finanças pessoais é um dos principais desafios de um país que carrega altíssimos percentuais de famílias com dívidas em atraso. Diante deste cenário, a Folha do Mate inicia, neste sábado, uma série de reportagens com dicas de como organizar as finanças e viabilizar sonhos e projetos.

NA PONTA DO LÁPIS
Manter as contas no "azul" e garantir a compra da nova geladeira ou da sonhada casa própria, exige controle financeiro dia a dia. Segundo o economista e professor de Matemática Financeira da Univates, Carlos Giasson, tudo começa com a análise e controle das despesas fixas de todo mês: as contas de luz, de água, do telefone, a gasolina e por aí vai. Ele explica que somente com ações do dia a dia será possível obter equilíbrio e, assim, se tornar um investidor. 'A pessoa precisa viver dentro do seu orçamento. Começamos com o que parece óbvio: não gastar mais do que se ganha', explica.

Se encontrar dentro do estilo de vida possível com a renda mensal é fundamental. Giasson explica que o assalariado sabe, ou pelo menos, deveria saber o que pode e o que não pode fazer, comprar e adquirir. 'Cada pessoa precisa encontrar sua forma mais confortável de viver com tranquilidade. As metas de cada um são diferentes, mas o que deve ser igual para todos é a disciplina. É preciso disciplina para estar preparado para possíveis emergências.'

FINANCIAMENTOS
Na hora de buscar crédito ou um financiamento - que acaba sendo o caminho de muitas pessoas na hora de investir - a dica do economista é estar atento aos índices de juros e analisar o quanto a nova "dívida" irá comprometer a renda mensal. 'É preciso pesquisar. O Brasil é um dos países onde a taxa de juros é uma das mais altas do mundo. Por isso, é preciso buscar informações, negociar juros mais baixos e acessíveis.'

O valor da prestação também deve ser analisado pelos cidadãos. Giasson observa que o valor da parcela deve ficar acessível para a família, também para evitar perda no estilo de vida e nos hábitos de consumo. 'É preciso analisar as vantagens e desvantagens. Conhecer as regras financeiras das instituições.'


Anote aí: 8 dicas de especialista

Formada em Administração e Contabilidade, a especialista em finanças empresariais e consultora de educação financeira do projeto Valcredi Educa, Manoela Medeiros, lista algumas dicas para se organizar financeiramente:

É preciso ter metas e objetivos bem claros. 'Só guarda quem tem motivos para guardar. É assim que construímos um planejamento financeiro.'

Traçar um plano para chegar onde se almeja e o quanto se pretende economizar. Isso inclui definir um percentual do orçamento (do salário) que pode ser economizado. Por exemplo: reduzir os custos com a conta de luz ou de telefone. Sem esquecer de pagar, primeiro, as contas já existentes.

Este planejamento deve constar em algum papel, planilha ou aplicativo. Anote ou registre todos os gastos e despesas. 'Para os antenados em tecnologia, há muitos aplicativos gratuitos para esta finalidade', destaca a profissional. Para os mais conservadores, o velho e precioso caderninho das finanças ajudará também.

Identifique onde na compra ou pagamento o seu dinheiro está sendo gasto. Analise onde é possível economizar. 'Verifique e faça ajustes.'

Família unida: é importante que todos os membros da família preocupem-se com as contas, conversem juntos. 'Famílias que tratam de finanças juntos geralmente têm resultados financeiros melhores.'

Busquem informações. Há muitos dados, inclusive na internet, sobre como funciona o mercado brasileiro. Tenha pessoas e ou profissionais de confiança para tratar sobre financiamento e taxas de juros.

Reserve de 5 a 10%, pelo menos, da renda mensal para alguma previdência ou investimento. 'É preciso, também, ter foco no futuro. Pensar no amanhã é fundamental, um exemplo disso é a previdência privada que vem ganhando mais adesões a cada dia.'

Ensine as crianças da sua família a terem organização desde cedo. 'As crianças precisam saber o preço das coisas, entenderem que tudo tem um custo e saberem guardar, nem que for a moedinha que ganharam no supermercado.'