fechar

Instituto Crescer Legal completa dois anos de atividades

por: Edemar Etges
Data: 20/04/2017 | 15:15
Foto: Divulgação / Banco Imagens SindiTabacoRafael Henrique da Fonseca é aluno do programa
Rafael Henrique da Fonseca é aluno do programa

Fundado em 23 de abril de 2015, o Instituto Crescer Legal completa seu segundo ano de atividades com muito a comemorar. Iniciativa do Sindicato Interestadual das Indústrias do Tabaco (SindiTabaco) e suas empresas associadas, a entidade tomou forma com o apoio e adesão de pessoas envolvidas com a educação e com o combate ao trabalho infantil, em especial em áreas com plantio de tabaco, na Região Sul do País. A meta: oferecer subsídios para que o jovem permaneça e se desenvolva no meio rural e, ao mesmo, tempo oportunidades para combater o trabalho infantil no campo. As principais ações do Instituto foram compiladas em um relatório institucional, disponível no site www.crescerlegal.com.br.

O trabalho infantil é um tema complexo e permanente, no meio urbano e rural. Entre os desafios relativos ao tema na zona rural, especialmente na agricultura familiar, está a falta de estrutura e de oportunidades para os jovens e, ao mesmo tempo, nota-se uma grande ansiedade por parte dos produtores diante da falta de oportunidades aos filhos que concluíam o Ensino Fundamental.

'Ao longo dos anos, percebemos que a escassez de escolas rurais é um grande problema no campo e, junto com as drogas e ociosidade, acabam contribuindo para uma postura cultural de valorização do trabalho e incentivando crianças e adolescentes a atividades inapropriadas para sua idade. O trabalho de conscientização é necessário para que os pais passem a valorizar a educação, mas também precisamos de políticas públicas para fortalecer as escolas no meio rural, buscando alternativas para os jovens de até 18 anos', afirma Iro Schünke, presidente do SindiTabaco e também diretor-presidente do Instituto
Crescer Legal.

Depoimento

'Quando foi comentado do curso, vi a oportunidade de buscar mais conhecimento. Mas, como era necessário ser estudante, recebi o incentivo dos meus pais r professores para que eu ingressasse no ensino médio e em paralelo fazer o curso para adquirir ideias inovadoras, possíveis de serem aplicados na nossa propriedade', afirma Rafael Henrique da Fonseca, jovem aprendiz do Instituto Crescer Legal em Venâncio Aires, que retornou à sala de aula depois de dois anos para poder participar do Programa de Aprendizagem. Em Venâncio Aires, o curso funciona na escola Coronel Thomaz Pereira, de Linha Taquari Mirim.

'Assim como o problema, a solução é complexa, mas possível'.
Iro Schünke, presidente do SindiTabaco.