fechar

Exposição ao sol faz bem à saúde das pessoas

por: Kethlin Meurer
Data: 17/02/2017 | 11:30
Foto: Kethlin Meurer / Folha do MateExposição ao sol é capaz de ativar a vitamina D no organismo
Exposição ao sol é capaz de ativar a vitamina D no organismo

As altas temperaturas registradas no verão fazem muitas pessoas evitarem ir para a rua e tomarem sol. Contudo, o que nem todas sabem é que ficar exposto ao sol torna-se importante para a saúde, porque os raios ativam uma importante vitamina no organismo, a D.

De acordo com o clínico geral Luiz Dalprá, a vitamina D é essencial ao organismo, por estar relacionada à saúde dos ossos, ter participação na construção da força muscular e no funcionamento cardiovascular e exercer papel importante na saúde mental. 'Mas a vitamina D é especialmente fundamental no metabolismo do cálcio', destaca.

Dalprá comenta que estudos são feitos para verificar se a vitamina também pode prevenir Alzheimer, doenças cardiovasculares, tumores digestivos e de mama. O profissional explica que 90% da vitamina D é fabricada pelo próprio organismo por meio da radiação solar, que é capaz de ativá-la, enquanto que 10% é possível complementar com medicamentos. 'Por isso não adianta a pessoa apenas tomar remédio. Ela precisa pegar sol', explica.

Fabricação no organismo

Foto: Kethlin Meurer / Folha do MateDalprá ressalta que a vitamina D é fundamental no metabolismo do cálcio
Dalprá ressalta que a vitamina D é fundamental no metabolismo do cálcio

A vitamina D é fabricada a partir do colesterol e, principalmente, de gorduras com origem vegetal. Os alimentos ricos em protótipos da vitamina D são peixes, óleos vegetais, fígado, ovos e derivados do leite. No entanto, apesar desses alimentos conterem uma grande quantidade da vitamina, ela permanece inativa no organismo caso a pessoa não se exponha ao sol. O indicado é ficar de dez a 15 minutos no sol, de duas a três vezes por semana, com exposição dos braços e pernas. O horário indicado é antes das 10h e depois das 16h.

Conforme o profissional, a falta da vitamina no organismo não apresenta sintomas e apenas pode ser constatada por meio de exame de sangue. Alguns sintomas podem surgir após os 60 anos, como fragilidade óssea e alterações nos níveis de cálcio circulante. 'Mas até os 60 anos raramente dá sintomas', complementa.

Exposição
à luz solar
Dalprá ressalta que o problema não está no fato da maioria das pessoas trabalhar em locais fechados, mas sim, por não irem no sol: 'Porque alguém pode estar trabalhando em um ambiente fechado, mas em outros horários ir no sol'.
O clínico geral reconhece que as pessoas - devido aos hábitos e rotinas dos dias de hoje - ficam cada vez menos expostas à radiação solar, o que aumenta o risco de deficiência da vitamina D. Em função disso, o profissional percebe que a busca por medicamentos para suprir a carência da vitamina no organismo é grande.

Segundo Dalprá, as pessoas com pele mais escura têm mais risco de deficiência da vitamina, porque a melanina impede e dificulta a transformação da vitamina D inativa para a ativa. O risco é o mesmo quanto aos obesos, pois neles a vitamina D se dilui no tecido gorduroso.

Conforme ele, está provado que a exposição à luz solar influencia no estado de humor das pessoas. 'Pouca luz, ambientes confinados por longos períodos, pouca atividade física externa e pouco contato com a natureza também aumenta o índice de doenças mentais', explica.