fechar

A primeira semana de Antony na Tailândia

por: Rosana Wessling
Data: 09/02/2019 | 12:00

Neste sábado, Antony Sackser de Mello completa sua primeira semana de tratamento na Tailândia. Acompanhado dos pais, Juliana Andréia Sackser e Marcos Ismael de Mello, o garotinho, que completa 4 anos no dia 26, tem tido uma rotina cheia de procedimentos. Até a tarde de sexta-feira, 8, horário da Tailândia, ele já tinha recebido duas sessões de células-tronco.
Segundo a mãe, na segunda-feira, 4, o método foi na corrente sanguínea e na sexta foi na medula. Juliana explica que o tratamento de Antony ocorre de segunda a sábado, quando realiza diversas atividades com os profissionais do Hospital Better Being, na cidade de Bangkok.

Foto: Arquivo pessoal / DivulgaçãoAlém do tratamento de célula-tronco, Antony realiza diversos métodos de estimulação
Além do tratamento de célula-tronco, Antony realiza diversos métodos de estimulação


Há uma semana, Antony realizou sua primeira avaliação na clínica. Conforme a mãe, foi constatado que ele estava apto a fazer o tratamento. Além disso, foi observado que a falta de oxigenação no corpo causou a perda das células-tronco. 'Começamos na segunda-feira as sessões de célula-tronco na corrente sanguínea. Mas durante toda a semana, precisamos combinar outros procedimentos como fisioterapia, terapia ocupacional, acupuntura e hidroginástica. Tudo isso para manter o Antony ativo', detalha Juliana.
As atividades que estimulam os movimentos do Antony terão continuidade após o retorno ao Brasil no fim deste mês. Juliana agradece a corrente de energias positivas. 'Na primeira aplicação de células-tronco na medula do Antony na sexta, ficamos angustiados. Ele entrou sozinho na sala. Mas foi muito rápido. Em 15 minutos estava no quarto. Eu acredito em Deus, tudo na vida é um processo, e isso tudo é graças ao apoio de todos. Eu agradeço pelas orações', reconhece.
Após a família iniciar a mobilização para arrecadar recursos para o tratamento na Tailândia, uma empresa doou R$ 443 mil e viabilizou a viagem ao país asiático. O menino teve lesões cerebrais por conta de um encefalite viral, em 2017, lesão que atingiu a parte da frente do cérebro. Com a falta de oxigenação, ele perdeu a coordenação motora.

 

Foto: Arquivo pessoal / DivulgaçãoMarcos e Juliana acompanham o filho nos procedimentos no Hospital Better Being
Marcos e Juliana acompanham o filho nos procedimentos no Hospital Better Being

 

 

PRÓXIMOS PASSOS
A família conta com a ajuda de um casal brasileiro que reside na Tailândia. 'São anjos amigos que nos ajudam em tudo, mas principalmente na tradução, até porque não falamos inglês. Viemos para cá só com o tradutor do celular', salienta Juliana.
Para a próxima semana, a rotina de Antony será semelhante. 'Ele receberá novamente duas aplicações de célula-tronco e sempre acompanhado dos demais procedimentos que ativam ele durante a semana.'
Ao longo dessas quase quatro semanas, o menino receberá quatro sessões na medula e duas na corrente sanguínea. O retorno da família está previsto para 26 de fevereiro. Depois dessa primeira ida à Tailândia, Antony deve voltar ao país asiático, dentro de cerca de seis meses, já que o tratamento está dividido em duas etapas.


Como funciona o tratamento de células-tronco

As células-tronco já são realidade para o tratamento de diversos tipos de doenças, assim como a do Antony. Um dos principais objetivos dos médicos é a utilização dessas células no tratamento e recuperação de órgãos e tecidos danificados, aumentando a qualidade de vida dos pacientes.
No caso de Antony, são utilizadas células-tronco de um banco de doadores, que são injetadas no corpo do menino. Juliana comenta que as células não reagem imediatamente. 'Pode demorar até seis meses.'
De acordo com Juliana, isso faz com que as células do corpo do filho se renovem. 'O Antony perdeu muitas, e as que sobraram vão se regenerar e se multiplicar. É vida nova ao corpo. As células que ele está recebendo renovam as células que ele já tem.'
As células-tronco não são todas iguais, existem as adultas e as embrionárias, com capacidades de multiplicação e formação de tecidos distintas. Juliana enfatiza que as de adulto correm um risco maior de serem rejeitadas. 'As células-tronco que o Antony está recebendo são de cordão umbilical e placenta. Na verdade, elas são 100% puras. Por isso temos muito mais chance de regeneração porque elas são virgens.'

 

 

Sobre a língua

A gente não sabe falar inglês, e veio só com o tradutor do celular. Além disso, encontramos 'anjos amigos' que estão nos ajudando na tradução.'

Sobre a cultura


A cultura da Tailândia é muito diferente, principalmente a comida. Aqui o pessoal de moto anda sem capacete, é uma loucura. O que em Venâncio a gente demora 25 minutos para chegar, aqui demora duas horas.'

Sobre o tratamento

Estamos vivendo momentos angustiantes no tratamento do Antony, mas eu acredito em Deus, independente de qualquer coisa. A gente sabe que na vida tudo é um processo.'