fechar

Pra contar histórias: o rei das discotecas

Passadas mais de quatro décadas dedicadas à música, Tavinho Botelho, 58 anos, recorda o início das suas atividades, hobbys e desafios

por: Cristiano Wildner
Data: 19/10/2018 | 14:00
Foto: Cristiano Wildner / Folha do MateDesde os anos 80, Tavinho é reconhecido como o rei das discotecas
Desde os anos 80, Tavinho é reconhecido como o rei das discotecas

Uma das pessoas mais conhecidas em Venâncio Aires é, sem dúvida, Tavinho Botelho. O que poucos sabem é que seu nome de fato é Otávio. O profissional que atua há mais de 40 anos no ramo da música, diz que ainda hoje mantém o mesmo foco e dedicação dos primórdios da carreira. Nos anos 80, o DJ Tavinho mobilizava legiões de fãs. Os eventos que o músico assinava eram sucesso de público e animação.

O caminho para atuar com a música foi aberto pelo irmão Sérgio. Aos 17 anos Tavinho passou a acompanhar a atividade de perto e dela nunca mais saiu. 'Não me vejo fazendo outra coisa. Sou grato ao meu irmão e agora o meu próprio filho segue na área'. O jovem Tiago Botelho, 21, já é empresário, técnico de áudio, produtor musical, designer gráfico e acadêmico de Engenharia Elétrica. Tavinho é casado há mais de 30 anos com Vaneti Inês, com quem reside no bairro Coronel Brito.

Terra FM

Tavinho diminuiu a atuação como DJ, contudo, as suas seleções musicais podem ser acompanhadas semanalmente na Terra FM. Ritmos vai ao ar todas as quintas-feiras, das 19h às 21h. O programa, que apresenta as melhores dos anos 70, 80 e 90, é um dos mais escutados da emissora. É também um dos campões em participações.

Por programa são executadas até 25 músicas, mas as participações chegam próximas a 200. 'O programa é simples, mas o grande diferencial é que as músicas ali tocadas resgatam a história de muitas pessoas. Momentos inesquecíveis como seus namoros e casamentos estão para sempre eternizados nessas músicas de época', pontua.

Foto: Arquivo pessoal / Divulgação Tavinho é considerado um dos percursores do som mecânico em Venâncio Aires
Tavinho é considerado um dos percursores do som mecânico em Venâncio Aires

Scaller 

A sua primeira atividade como DJ foi em evento de CTG que existia em Vila Mariante. As mixagens únicas e diferenciadas eram feitas, inicialmente, em disco de vinil e depois em fita cassete. 'Imaginar tudo isso hoje é quase impossível', relembra.

'Em Venâncio tocava bastante no estádio da Fumossul, ginásio do Oliveira, CTG's, no então galpão da comunidade Santa Rita e no salão JC - na Coronel Brito', relembra ele, com sorriso no rosto, alguns dos lugares que permanecem vivos na memória. Em 1987 decidiu apostar em sua própria danceteria, a Scaller, que funcionou até 1996. O prédio ainda existe e fica na rua Voluntários da Pátria, próximo ao trevo da RSC-453.

Algumas das cidades em que mais atuou como músico, além de Venâncio Aires, foram Taquari e Santa Cruz do Sul. Mas também era frequente assumir compromissos em Lajeado, Rio Pardo, Vacaria e Estrela.

Atualmente sua principal demanda é fornecer equipamentos de sonorização para os mais diversos eventos, que vão desde palestras até shows. Por ano são mais de 200 compromissos do tipo. Tavinho possui mais de R$ 300 mil em equipamentos.

Hobby 

Uma das atividades que não abre mão é viajar, e muitas vezes, sem destino, em sua moto. Às vezes o passeio é acompanhado de amigos e outras vezes segue sozinho estado afora. A última viagem teve como rota conhecer a encosta e desfiladeiro de Itaimbezinho, no Parque Nacional dos Aparados da Serra, em Cambará do Sul, que fica no limite dos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. No passeio foram percorridos mais de 1,2 mil quilômetros.