fechar

Ipea erra e divulga novo número de pesquisa sobre abuso contra mulheres

por:
Data: 04/04/2014 | 16:30

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou hoje, 4, que a pesquisa divulgada no dia 27 de março, a qual demonstrava um índice de 65% dos brasileiros acham que mulheres com roupas curtas merecem ser estupradas, havia um erro.

Sendo reais 26% dos entrevistados que concordaram com a afirmação. E para a surpresa de muitos, após toda a repercussão, 70% dos brasileiros discordaram total ou parcialmente da frase. 

Confira a nota divulgada pelo Ipea: "Vimos a público pedir desculpas e corrigir dois erros nos resultados de nossa pesquisa Tolerância social à violência contra as mulheres, divulgada em 27/03/2014. O erro relevante foi causado pela troca dos gráficos relativos aos percentuais das respostas às frases Mulher que é agredida e continua com o parceiro gosta de apanhar e Mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas"

Conforme a nota, o diretor responsável pela área, pediu sua exoneração assim que o erro foi detectado.

Pesquisa repercutiu nas redes sociais

Com início e grande repercussão nas redes sociais, o assunto tomou conta de praticamente todas as rodas de conversa no último fim de semana.

Após a divulgação do dado de 65% dos brasileiros entrevistados achavam que as mulheres eram as responsáveis por sofrerem abusos, diversas mulheres, homens e famílias inteiras se mobilizaram e aderiram ao pedido de cessar a violência sexual no país.

Na campanha, a maioria das imagens trazia pessoas segurando cartazes com o nome 'Não mereço ser estuprada', ou outras mensagens de aversão ao machismo e violência sexual.