fechar

Comerciantes se queixam da demora no capeamento da Osvaldo Aranha

Apesar das melhorias que a obra proporcionará, a demora para estancar a poeira e barro tem sido a reclamação constante

por: Cristiano Wildner
Data: 13/09/2018 | 07:00

 

Foto: Cristiano Wildner / Folha do MatePoeira, mais do afastar clientes, tem prejudicado os produtos expostos
Poeira, mais do afastar clientes, tem prejudicado os produtos expostos

Passado mais de um mês desde o início das obras de capeamento de trecho da principal rua de Venâncio Aires, a colocação da primeira camada de asfalto segue distante. Para a obra foi necessário trocar a canalização de drenagem ao longo de praticamente quatro quadras da Osvaldo Aranha. Após a retirada do paralelepípedo e abertura de valas, a poeira e o barro se tornaram a tônica das reclamações de comerciantes, empresários e consumidores da região.

A ausência de ações paliativas para minimar o impacto da obra passaram a ser o assunto das conversas. Os proprietários de estabelecimentos comerciais e residências sugerem a adoção de caminhão pipa. A Administração Municipal informa, no entanto, que tem feito o possível, mas o densamento do solo é necessário para evitar prejuízos ao futuro asfalto.

>>> LEIA MAIS: Conpasul fará capeamento asfáltico de ruas centrais

CRESCENTE NA INADIMPLÊNCIA

Empresários reclamam que é perceptível a diminuição no número de clientes. Outros destacam que ocorreu uma crescente na inadimplência pela dificuldade de estacionar ou de acessar a rua em dias de chuva. Comerciantes também destacaram que a quantidade exagerada de poeira provoca a desvalorização dos produtos expostos.

'A poeira é tanta que precisamos lavar a calçada e molhar a rua pelo menos três vezes ao dia', informa o proprietário de uma ótica, Celso Mendes da Silva. 'Quando chego em uma cidade quero conhecer a rua principal. Se alguém fizer isso em Venâncio vai se decepcionar, pois a Osvaldo Aranha está um caos. Retrocedemos no tempo', acrescentou.

O gerente de uma loja, Fernando Trindade, acrescentou que o investimento na rua é importante, mas cobrou uma efetiva transparência do processo. 'Temos a consciência que de isso proporcionará muitas melhorias, mas não era esperado que seria tanto tempo'.

PEDRISCOS

Durante os contantes dias chuvosos do mês de agosto, para tentar minimizar o barro que tomava a rua, foi colocada uma carga de pedrisco no trecho que recebeu a intervenção. A iniciativa partiu da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisp).

Foto: Cristiano Wildner / Folha do MateDurante o dia, os próprios estabelecimentos providenciam a lavagem das calçadas
Durante o dia, os próprios estabelecimentos providenciam a lavagem das calçadas

POSICIONAMENTO DA PREFEITURA

A Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão informou que a chuva atrapalhou o cronograma de capeamento. Mas acrescenta que devido a profunda escavação que foi necessária fazer para substituir a tubulação de drenagem, o período de densamento de solo precisou ser ampliado.

O engenheiro da secretaria, Adilson Stertz, diz que pela especificidade da rua não é possível passar rolo compactador e, por isso, o densamento precisa ocorrer 'praticamente ao natural'.

Pelo cronograma apresentado pela Prefeitura, o solo apenas estará apto para receber o capeamento asfáltico na primeira quinzena de outubro. Antes disso, será concluído o capeamento das ruas Armando Ruschel (bairro Gressler), Fernando Manuel Schwingel (bairro Santa Tecla) e Sete de Setembro (bairro Centro).

'Entendemos que é complicado da forma como está. Estamos fazendo o possível para diminuir o impacto, mas reiteramos para que a população tenha paciência. Essa obra vem para melhorar nossos principais acessos', destaca titular da pasta Jalila Stahl Böhm Heinemann.

Foto: Cristiano Wildner / Folha do MateEmpresários solicitam caminhão-pipa para amenizar a poeira no centro da cidade
Empresários solicitam caminhão pipa para amenizar a poeira no centro da cidade