fechar

Ceia de Natal registra leve alta em relação ao ano passado

Levantamento encomendado pela Associação Gaúcha de Supermercado (Agas) mostrou que é aguardado aumento de 3,6% nas vendas

por: Cristiano Wildner
Data: 18/12/2018 | 09:00
Foto: Cristiano Wildner / Folha do Mate Para Maria um dos produtos indispensáveis na ceia é o panetone
Para Maria um dos produtos indispensáveis na ceia é o panetone

A ceia natalina é uma tradição que não pode faltar na noite de 24 de dezembro. Entre presentes e itens de decoração, a cesta para a ceia é um dos principais gastos para o bolso dos consumidores. Por conta disso, planejar ajuda a economizar na hora da compra dos itens. Os preços não devem variar muito em relação a 2017, mas planejamento e compras antecipadas ajudam a controlar o valor dos produtos. Pesquisa encomendada pela Associação Gaúcha de Supermercado (Agas) indica que é esperado aumento de 3,6% nas vendas.

A expectativa de supermercadistas é de que sejam injetados R$ 13,7 bilhões na economia gaúcha ao longo de dezembro. O levantamento mostrou, ainda, que é esperada alta de 0,9% no preço dos produtos consumidos nesse período. "Percebemos um clima crescente de compartilhamento entre familiares e amigos, que buscam cada vez mais reuniões e confraternizações em grupos nas ceias de Natal e Réveillon, dividindo custos e garantindo uma grande festa", destaca o presidente da Agas, Antônio Cesa Longo.

LISTA DOS GAÚCHOS

Bombons, aves e as típicas lentilha e carne de porco do fim do ano estão na lista dos gaúchos, que irão ao mercado para comprar alimentos, bebidas e presentes. Quem confirma também os dados da pesquisa é a moradora de Venâncio Aires, Maria Clélia Ullmann, 75 anos. Ela também lembra do panetone que é tradicional para a época e que é presença garantida na mesa. A pesquisa mostrou ainda que gêneros alimentícios como peixes e bebidas destiladas tiveram uma variação negativa nos preços, puxando para baixo a média de preço dos produtos em geral.

Para Maria Clélia, a tradicional ceia é um momento único para reunir amigos e familiares mais próximos, mas ela também defende cautela e muita pesquisa para economizar na compra dos produtos.

AVES NATALINAS

A crescente concorrência no segmento de aves natalinas mais uma vez beneficiará os consumidores no momento da compra. São várias as marcas, temperos e preços. Na avaliação de Longo, os gaúchos deverão novamente privilegiar os "frangões" e aves mais acessíveis e de preparo rápido. Ao todo, 880 mil aves (2,5 mil toneladas) serão comercializadas pelo setor - com um crescimento de 3,0% nas vendas.

 

Quem deixar para a última hora não encontrará produtos mais caros, mas poderá não encontrar a marca ou tipo de produto preferido, além de certamente enfrentar filas.'
ANTÔNIO CESA LONGO
Presidente da Agas

 

ENDIVIDAMENTO DAS FAMÍLIAS 

Ao contrário do ano passado, quando a maioria dos consumidores optaram por realizar as compras à vista, em 2018 as festas vão ter consumidores comprando majoritariamente a prazo os itens de alimentação e presentes. "É um sinal inequívoco do endividamento das famílias que, ainda assim, não deixarão de comemorar o Natal e o Ano-Novo com entes queridos", destaca Longo. A pesquisa do Instituto Segmento mostra que, neste ano, os produtos típicos de Natal e Ano-Novo vão representar em média 15,2% das vendas do setor em dezembro.