fechar

Empate no final é insuficiente para Guarani retornar à elite

Gol de Bruno Bêra decretou o empate entre Esportivo e Guarani na Serra Gaúcha. Time de Bento retorna ao Gauchão após rebaixamento em 2014

por: Rui Borgmann
Data: 13/05/2019 | 18:30

O empate por 1 x 1 não foi suficiente para o Guarani levar a decisão para os pênaltis e tentar a vaga na final da Divisão de Acesso. O time índio acabou sendo eliminado na fase semifinal e viu o adversário comemorar a segunda vaga no Gauchão de 2020.

A primeira vaga ficou com o Ypiranga, que despachou o Glória. Agora o Guarani decide seu futuro se segue com o futebol profissional no segundo semestre ou se dedica todas as atenções para as equipes de juniores e juvenis.

Foto: Cristiano Wildner / Folha do MatePara o Guarani faltou um melhor resultado dentro do Edmundo Feix na ida da semifinal
Para o Guarani faltou um melhor resultado dentro do Edmundo Feix na ida da semifinal

PRESSÃO DO ADVERSÁRIO
Com uma escalação modificada, sem um atacante de referência, o técnico Leocir Dall"Astra mandou a campo uma equipe com a intenção de surpreender o adversário. Não deu certo. O time de Venâncio precisava vencer, mas o ataque rubro-negro foi improdutivo no primeiro tempo e viu a equipe de Carlos Moraes dominar praticamente toda a etapa.

Logo aos três minutos, o Esportivo chegou primeiro. Toni Júnior arrancou pelo lado esquerdo e arriscou de fora da área. A tentativa passou por cima do gol defendido por Villa. Dois minutos depois, Jackson arriscou da direita e o goleiro Villa brilhou. O Guarani buscava ter posse de bola e passou a trocar passes no campo ofensivo, mas sem perigo. As primeira chance da equipe de Venâncio aconteceu somente aos 27 minutos quando Juninho dominou no bico da área e finalizou fraco para defesa de Jonatas. Em seguida, Salib driblou Nunes e mandou para fora.

A resposta do Esportivo aconteceu aos 34 com o meia Athos que quase fez um gol olímpico. No fim da etapa, o time da casa seguiu impondo pressão. Xaro cobrou escanteio, a bola sobrou para o zagueiro Cleiton que chutou forte e a defesa salvou em cima da linha. No rebote, o volante Nunes finalizou por cima do gol.

MODIFICAÇÕES TARDIAS
A etapa final começou com o Guarani em busca do gol e mais presente no campo ofensivo. Porém, essa posse de bola não era traduzida em grandes oportunidades contra o gol de Jonatas. Responsável pelas maiores jogadas, o meia Cristiano Salib foi o maior destaque do Guarani. Aos 12 minutos, o meia chutou de longe e a bola passou por cima do gol. Logo em seguida, Cristiano bateu fraco nas mãos do goleiro. A resposta do Esportivo veio com Athos, que concluiu para fora. E foi na bola parada que veio o gol adversário. Aos 24, Xaro cobrou escanteio, a defesa não afastou e o volante Nunes chutou forte de perna esquerda para marcar 1 x 0.

Foi então que o técnico interino Gilson Dias promoveu mudanças com a entrada de André, Oscar e Rômulo. Com o meio-campo aberto, o time da casa quase ampliou com Zulu, mas Villa defendeu. O time de Venâncio chegou com perigo com André que concluiu para Jonatas defender e a bola ainda bater na trave. Salib também arriscou de longe e a bola raspou o travessão.

Nos acréscimos, Bruno Bêra aparou a conclusão de Salib e empatou aos 46 minutos. Salib ainda tentou o último arremate para defesa de Jonatas. O Esportivo comemorou a vaga na primeira divisão do Gauchão e na final da Divisão de Acesso. Para o Guarani, restou exaltar o desempenho e a valentia de uma equipe formada recentemente que vestiu a camisa e buscou o objetivo até o fim.

Esportivo (1) - Jonatas; Cleiton, Gullithi e Jonas; Jackson (Bovi), Nunes, Robert, Athos (Eduardinho) e Xaro; Toni Júnior e Zulu (Nena). Técnico: Carlos Moraes
Guarani (1) - Alexandre Villa; Sampson, Negretti, Saulo e Augusto; Bruno Bêra, Cristiano (André) e Salib; Juninho, Felipe Tchelé (Rômulo) e Negueba (Oscar). Técnico: Gilson Dias
Cartões amarelos para Nunes (E) e para Salib (G).