fechar

Alergia ao pólen é comum em animais na Primavera

por: Folha do Mate
Data: 24/09/2012 | 20:34
Fenachim

Com a chegada da primavera, os passeios com os animais de estimação se tornam mais frequentes. Com isso, os cuidados devem ser ainda maiores por causa da alergia ao pólen das plantas. As reações alérgicas geralmente se manifestam como coceiras persistentes, entretanto, elas não têm cura, podem ser apenas controladas.

 

Coceira constante e lambedura na pele são os sintomas mais comuns das alergias em pets. Estes sinais podem ser notados nas patas, face, pescoço, boca, orelhas e áreas próximas à base da cauda. Em cães, as alergias, frequentemente, são a causa primária de problemas de pele persistentes, embora seja importante notar que nem toda a coceira é devida a alguma alergia.

 

Quando o dono do pet notar algum dos sintomas citados, o indicado é procurar pelo seu médico veterinário, pois ele precisa descobrir do que se trata a alergia para, em seguida, iniciar o tratamento. “O mais comum em cães são as ambientais e às pulgas”, explica o veterinário Everton Notti. A alergia a pólen é difícil de tratar, porque o complicado é isolar o animal. Notti explica que a alergia à comida é mais fácil de ser controlada, porque depois que descoberto o motivo, é possível substituir o alimento evitando o contato com a substância que ele é sensível.

 

Alguns cachorros sofrem com outros tipos de alergias, como a de picada de pulga, ácaros, fungos e substância química. A reação alérgica é bastante parecida em todos os casos. Por isso não se deve medicar sem a supervisão de um médico veterinário.

 

Para se conseguir um bom diagnóstico das doenças alérgicas, é necessário combinar fatores como histórico, exame clínico, teste alérgico e diagnóstico apropriado das doenças de pele secundárias, que quase sempre estão associadas às alergias. O tratamento vai depender do grau de alergia do pet e do resultado do exame. Existe, ainda, um consenso de que as alergias podem ser controladas, mas não prevenidas. O melhor controle é evitar o contato do animal com os alérgenos aos quais ele é sensível.