Opinião

Heitor Schuch e Marcelo Moraes, nossos federais

por: Sérgio Klafke
Data: 12/01/2019 | 01:10

Foto: Divulgaçãocccccccc
Moares com Bolsonaro na quarta

Os deputados federais Heitor Schuh (PSDB) e Marcelo Moraes (PTB) são apoios importantes para o prefeito Giovane Wickert (PSB) e o vice Celso Krämer (PTB) na defesa de projetos de Venâncio no Governo Federal. Além dos dois mais votados aqui, vários outros federais, de vários partidos, tem ligação com Venâncio e apoiam ações do governo Giovane/Celso.
Marcelo Moares, deputado estadual do PTB de Santa Cruz, se elegeu federal ocupando a cadeira que foi do pai, Sérgio Moraes por três mandatos. Ele assume dia 1º de fevereiro, num Congresso renovado. Nesta semana Marcelo me enviou registro de encontro que teve com o presidente Jair Bolsonaro. 'Hoje (quarta), em Brasília, tive a satisfação de me reunir com o presidente da República Jair Bolsonaro. Muito trabalho e muita vontade de fazer um Brasil muito melhor', escreveu Marcelo, que foi o segundo federal eleito mais votado em Venâncio com 3,7 mil votos, 9,7% dos votos válidos.

Foto: Divulgação jjjjj
Schuch com Schwanke na quinta

Heitor Schuch, do PSB, também de Santa Cruz, foi o federal mais votado aqui com 9.398 votos, 24,6% dos votos válidos em Venâncio. Ele esteve aqui na Folha na quarta a tarde para tomar um chimarrão e falar das suas principais propostas de trabalho neste segundo mandato federal. Schuch foi o 9º federal gaúcho mais votado, com 109 mil votos e um dos poucos que aumentou a votação - fizera 101 mil em 2014. Candidato apoiado pelos STR"s, ele foi votado em 478 dos 497 municípios gaúchos.
Schuch me falou da sua preocupação com o alto número de deputados eleitos que nunca tiveram cargo eletivo. Vão estrear direto em Brasília, sem ter sido vereador, vice-prefeito, prefeito ou deputado estadual. A maioria eleita na esteira do fenômeno Bolsonaro. Falou também da forma unida que os 170 deputados do Nordeste atuam defendendo suas causas e da dificuldade de unir os deputados do Sul, que somam menos de 100.
Heitor levou exemplares do da revista Perfil Socioeconômico e ontem esteve com o ex-prefeito de Rio Pardo, Fernando Schwanke, que assumiu a secretária da Agricultura Familiar e Cooperativismo no governo Jair Bolsonaro.

Schwanke estará em Santa Cruz, onde já foi secretário municipal da Agricultura, no dia 21 de fevereiro para um encontro regional.

 

 

As propostas de Leite para modernizar a educação

por: Sérgio Klafke
Data: 12/01/2019 | 01:06

O governador Eduardo Leite (PSDB) nomeou Faisal Karam, administrador de empresas, ex-prefeito reeleito de Campo Bom, deputado estadual suplente do PSDB, para a secretaria da Educação. Em entrevista à ZH nesta semana, Faisal fala que a prioridade é otimizar e racionalizar custos. A rede tem 2.539 escolas, 900 mil alunos e 63 mil professores. O orçamento da Educação é de R$ 9,1 bilhões. Só em folha e encargos se vão R$ 8,1 bilhões. Faisal diz que em 15 anos 600 mil alunos deixaram a redes estadual. Ele quer saber porque tem tanto professor fora de sala de aula. Se não enxergarmos a educação como prioridade não vamos a lugar algum, disse o secretário.
Durante a semana a Secretaria distribuiu uma nota resumindo a proposta do novo governo.
Atualmente, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) conta com 29 Coordenadorias Regionais de Educação (CREs) e a Divisão Porto Alegre (DPA).
O sistema foi criado no milênio passado para agilizar a comunicação entre a Seduc, com sede em Porto Alegre, e as mais de 2,5 mil escolas da rede estadual. Suas diretrizes e atuação são baseadas em formas de comunicação anteriores a adventos como celular, e-mail e, sobretudo, mídias sociais.
Baseado nisso, a Seduc informa que:
1 - A estrutura atual de Coordenadorias Regionais de Educação (CREs) precisa ser otimizada para que gere ainda melhores resultados sem onerar os cofres públicos. Os modernos meios digitais de comunicação fazem com que, na Secretaria de Estado da Educação, seja possível uma estrutura mais leve e capaz de gerar melhores resultados em um tempo mais curto.
2 - O estudo é preliminar. Por isso a estrutura de Coordenadorias a ser montada não está definida no que diz respeito a quantidade de sedes e de servidores. A reformulação leva em conta benefícios pedagógicos, estruturais e nos Recursos Humanos.
3 - A reforma no sistema é uma necessidade para uma rede que teve, nos últimos 15 anos, uma redução de cerca de 600 mil alunos na rede pública estadual. Vai ajudar a enxugar a máquina pública e, ainda trazer benefícios para toda a comunidade escolar.
4 - Com as demais secretarias estaduais, estamos buscando a viabilidade de concentrarmos em locais únicos os diversos serviços ofertados pelo Estado.
5 - Estão sendo avaliadas formas de gestão otimizada em todas as áreas da Seduc, um compromisso do governo estadual. Transporte de alunos, realocação de servidores e todas as formas de redução de custos, sem perda na qualidade de serviço, serão adotadas.

 

Pelos esgotos

por: Sérgio Klafke
Data: 12/01/2019 | 01:05

Prefeito Giovane Wickert (PSB) se mostra incomodado com a polêmica sobre a infestação de baratas que saem das bocas de lobo do esgoto cloacal na cidade e a cobrança por ação da Prefeitura, assunto trazido a público pelo vereador de oposição Tiago Quintana (PDT).
O Coordenador da Vigilância Sanitária, Everton Notti, disse em reportagem na Folha que a desinsetização por fumigação que era realizada no governo anterior por empresa terceirizada, e que não é mais feita, não tem eficácia comprovada e pode agredir o meio ambiente. Como a empresa se manifestou afirmando que o método é eficaz e não polui o meio ambiente, Giovane pediu comprovação técnica para Notti. Ontem o coordenador da Vigilância e o secretário da Saúde Ramon Schwengber, divulgaram nota afirmando que a fumigação não é o método mais indicado para o combate às baratas e que uma forma mais apropriada vai ser utilizada para isso.
A questão virou política, pois a empresa que fazia a desinsetização é de Luciano Frozza, filiado ao PDT do ex-prefeito Airton Artus, que teria cobrado a manifestação da empresa. Giovane deixa isso claro em manifestação que fez na sua página no Facebook, nesta semana, quando anunciou na quinta-feira adiantamento de R$ 770 mil para o hospital poder pagar os salários de dezembro. 'Enquanto uns andam pelos esgotos tentando achar algum problema para fazer disso uma cortina de fumaça, nós estamos trabalhando para manter o que é mais importante em nosso Município: a saúde do nosso povo.'

 
PERFIL

Sérgio Klafke


Diretor de Conteúdo da Folha do Mate, com formação em Ciências Econômicas e registro de jornalista profissional provisionado, tem a vida de trabalho toda ligada ao jornal. Iniciou em julho de 1973, com 12 anos, quando a Folha do Mate tinha nove meses de circulação, como entregador de jornal. Nestes já 40 anos de Folha, atuou em todos os setores. Foi repórter, contato publicitário, diagramador, editor, coordenador comercial e diretor. Como colunista político nas últimas décadas, centra suas ações em palavras de apoio à todas as boas iniciativas e de cobrança àquilo que entende não estar correto.

BUSCA
CATEGORIAS
LINKS ÚTEIS
ÚLTIMOS POSTS