Bitencourt: Tenho muito a colaborar com o Guarani

por: Rui Borgmann
Data: 14/01/2017 | 10:23

Rui Borgmann / Blog do RuiRafael contou sobre episódio com técnico Fabiano Daitx em 2014.
Rafael contou sobre episódio com técnico Fabiano Daitx em 2014. "Não entendo porque ele me tirou do time"

Rafael Bitencourt tem uma trajetória favorável no Esporte Clube Guarani. Ficou conhecido como o "homem-acesso", obtendo êxito com mais outros clubes do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O meio-campista de 29 anos postou em sua página pessoal do Facebook que demonstra vontade de disputar a Divisão de Acesso pelo Índio. Na publicação ele não esconde alguma mágoa com a atual direção rubro-negra, que segundo ele não lembrou de seu nome.

Precocidade

Em 2006, com apenas 18 anos, deixou o time de juniores do Juventude e foi um dos maiores responsáveis pela exuberante campanha do Rubro-negro na Série B. Zecão também era o presidente. Naquele ano, o Índio ascendeu como vice-campeão e Rafael marcou 13 gols. Em 2014, foi o artilheiro da equipe com oito gols no título do returno da Terceirona e ainda sagrou-se vice-campeão da Copa Fernandão.

Foto: Rui Borgmann / Blog do RuiEm 2014, liderou a equipe campeã do returno da Terceirona que culminou com o retorno à Divisão de Acesso
Em 2014, liderou a equipe campeã do returno da Terceirona que culminou com o retorno à Divisão de Acesso

Litígio

Já em 2015, no quadrangular final, atuou apenas alguns minutos em seis jogos, sendo preterido pelo técnico Fabiano Daitx. Era o capitão da equipe, homem de confiança. 'Na última hora o treinador me tirou quando o time mais precisava de mim. Estava acostumado com aquela situação de dificuldades, de torcida contra, casa cheia. Estava no banco doido para entrar'. No jogo decisivo, Rafael treinou entre os titulares e acabou sacado em Vacaria.

Desabafo

No fim do ano passado, Rafael diz que tinha apalavrado um acerto com o presidente Zecão no sentido de ajudar no que fosse preciso. Porém, o departamento de futebol não o procurou, optando pela contratação de outro jogador da posição. O meio-campista ressalta que precisaria passar por uma preparação física adequada para ter todas as condições de vestir a camisa do Índio com qualidade e auxiliar numa grande campanha.

Carinho e respeito

Bitencourt contou que teve propostas para jogar no centro e norte do país, mas entende não ser compensatório deixar a família. Com três passagens pelo Guarani e dois acessos, diz que o Rubro-Negro merece todo seu carinho e respeito. 'Fui torcedor quando criança indo aos jogos com meu pai e tive o prazer de vestir essa camisa. Às vezes algumas pessoas que fazem o futebol decepcionam. Na verdade nunca reconheceram que tenho mais de 100 jogos e 30 gols marcados pelo clube. Tenho muito a colaborar, mas também depende da vontade do Guarani'.

 

O giro dos técnicos

por: Rui Borgmann
Data: 03/01/2017 | 08:20

Foto: Roberto Rodrigues/Grêmio FBPA e Tomás Hammes/GloboEsporte.com / Blog do RuiCelso Roth x Renato Gaúcho e as andanças pela dupla
Celso Roth x Renato Gaúcho e as andanças pela dupla

Grêmio renova com Renato Gaúcho e Inter aposta em Antônio Carlos Zago para manter a hegemonia no Gauchão e retornar à elite.

Tratando-se da contratação ou renovação de treinadores, cada temporada é uma história e não a garantia de sucesso.

Na temporada passada, Renato substituiu Róger Machado em meados da Copa do Brasil e do Brasileirão.

A troca gerou resultado, muito mais pela equipe já estar montada há mais de um ano.

Renato remotivou alguns jogadores e o time encaixou na hora certa.

Foi assim em 2010 com o Inter na Libertadores.

O uruguaio Jorge Fossati montou o elenco e Celso Roth apenas teve o trabalho de mobilizar e encaminhar o Colorado ao título.

No Mundial do mesmo ano foi aquele desastre.

Em 2016 teve um desempenho pífio quando retornou.

História pelo avesso
A história de que "time grande não cai" caiu por terra ao iniciarmos 2017. Inter e seus torcedores precisam encarar a realidade e ela não é tão ruim assim. O clube flertou por vários anos com a Segundona e desta vez o pesadelo se tornou realidade. Certamente a queda vai tornar o Beira-Rio mais vibrante e os torcedores terão identificação maior com o clube. 'E a nossa história não estará pelo avesso. Assim, sem final feliz. Teremos muitas coisas bonitas pra contar'. Deste modo termina uma das belas canções de Legião Urbana, de Renato Russo. Pode servir para o Colorado!

Preparativos
Na primeira coluna do ano não há muito a escrever sobre futebol. Alguns leitores estão de férias, assim como pessoas envolvidas com o próprio esporte. O Guarani trata de fechar seu elenco para a Segundona com início programado para março. A direção garante que tem o grupo praticamente contratado, mas só anuncia na apresentação, dia 25 deste mês. A Assoeva encaminha reforços e mantém a boa base de 2016. Deve anunciar mais dois a três nomes para fechar o elenco.

Vuaden fora do quadro da Fifa
O estrelense Leandro Vuaden integrou por oito anos o quadro de árbitros da Fifa. Aos 41 anos, o gaúcho foi retirado pela Comissão de Arbitragem da CBF e não terá mais o escudo da federação internacional no peito em 2017. Ganhou a companhia de Héber Roberto Lopes e de Péricles Bassols, também retirados da relação. Com 20 anos de arbitragem, o profissional tem mais quatro para atingir o limite de 45 anos para comandar um jogo profissional. Com a saída de Vuaden, o Rio Grande do Sul fica sem gaúchos no atual quadro, que já contou com Carlos Simon e Leonardo Gaciba.

Bom zagueiro
Juventude reluta em liberar Klaus ao Inter. Quer dinheiro e não jogadores em troca. Todos os clubes têm problemas nas finanças e o zagueiro está valorizado no mercado, principalmente no exterior, onde busca cidadania alemã. E o time da Serra é um dos adversário do próprio Inter na Série B. Outro entrave para a negociação.

 

 

Aprendemos com a tristeza

por: Rui Borgmann
Data: 31/12/2016 | 14:10

Rui Borgmann / Blog do Rui2016: 'foi praticamente como entrar num ringue e enfrentar um adversário maior e mais forte'.
2016: 'foi praticamente como entrar num ringue e enfrentar um adversário maior e mais forte'.

Para muitos, o ano de 2016 foi difícil. Decepções, perdas, tragédias. Assistimos e presenciamos muitas coisas, boas e ruins. As más notícias são as que marcam, que nos deixam pensativos, reflexivos. Li um texto da Ana Maria Braga que dizia: 'foi praticamente como entrar num ringue e enfrentar um adversário maior e mais forte'.

E foi assim mesmo. É como se fôssemos nocauteados com chutes e socos em todas as direções. Alguns decidiram jogar a toalha e se estirar, esperando aqueles golpes acabarem. Os mais fortes optaram em se levantar, mas a cada respiro percebiam que não adiantava usar o que sabiam para vencer a batalha. Tinham que inventar algo novo e surpreender o adversário. Esses acabaram equilibrando o jogo e, mesmo sem conseguir derrotar o inimigo, tiveram um empate técnico com gosto de vitória.

2016 foi um ano trágico. No voo da Chapecoense, dezenas de atletas, dirigentes e jornalistas deixaram para trás seus sonhos, suas vidas. Por aqui, por fatalidade ou destino, perdemos um parente próximo ou um amigo. Quando se trata de vidas, o futebol não é nada, o esporte, a competição deixa de ter graça.

A sonhada medalha de ouro no futebol do Brasil nas Olimpíadas perdeu o brilho perto de tanta decepção com a política em nível de país. Não faz sentido a corneta do gremista. Cair para a Série B é indiferente se comparada à perda de um ente querido. A comemoração da Copa do Brasil passou quase despercebida.

Sejamos nós torcedores de Grêmio, Inter, Guarani, Assoeva, Chapecoense, que possamos refletir sobre os acontecimentos de 2016. Uma frase de Pablo Picasso nos ensina: 'A morte não é a maior perda da vida. A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos'. Que aprendamos com a tristeza para que possamos ser mais cordiais, fazer mais amigos, abraçar e ter mais carinho com o próximo.

Que os afortunados políticos tenham sido iluminados nesses últimos 12 meses e alcancem discernimento para auxiliar numa distribuição de renda mais justa. Que tratem de valorizar o professor que educa nossos filhos, o policial que cuida de nossa segurança, o médico que assiste tantas vidas.

Aos leitores assíduos desta coluna, sigam ocupando seu tempo, sua mente com o trabalho e fazendo o bem.

Um feliz ano novo!

 

 
PERFIL


O esporte sempre esteve presente em minha vida, desde a infância. Como quase todo menino, meu sonho era ser jogador de futebol, mas confesso não sentir frustração alguma por não ter conquistado espaço nos gramados, à medida que uma minoria consegue realização plena na carreira de futebolista.
O Blog do Rui traz informação e opinião sobre o Guarani de Venâncio Aires, sobre a Assoeva na Liga Nacional e Estadual de Futsal, além dos demais esportes de destaque na região. A dupla Gre-Nal também recebe seu espaço.

Curta a FanPage no Facebook: https://www.facebook.com/pages/Blog-do-Rui

'O sorriso enriquece os recebedores sem empobrecer os doadores'.
Mario Quintana

BUSCA
CATEGORIAS
LINKS ÚTEIS
ÚLTIMOS POSTS