Folha no Ar Azul 2

Guarani-VA x Inter: O troco de 2002

por: Rui Borgmann
Data: 18/09/2014 | 11:57

Há 12 anos, o Internacional sagrava-se campeão gaúcho.

Neste mesmo ano, o Guarani iniciava uma caminhada penosa na disputa do campeonato gaúcho, sem a participação de Grêmio, Inter, Juventude e Pelotas, que jogavam a extinta Copa-Sul-Minas.

Foram seis derrotas e seis empates até a troca de comando técnico. Sai Eugênio Silva e entra Mano Menezes.

Da lanterna isolada e iminente rebaixamento, o time engata uma sequência de vitórias e empates; fecha o returno em primeiro e chega à fase semifinal.

Vitória sobre o 15 de Campo Bom e vaga na final diante do São Gabriel.

O placar agregado (0x0 no Emundo Feix e 0x1 nas Missões) dá o título inédito ao time índio de Venâncio.

A cidade inteira se envolve. Carreata, festa, capas de jornais em todo o Estado. O assunto permanece por vários dias em toda a aldeia.

Num primeiro momento, a mídia vende o peixe de que o vencedor levaria a honra de ser eleito o campeão gaúcho.

Após a conquista, a entidade esportiva maior do RS (Federação Gaúcha de Futebol) e parte da imprensa da capital intitulam o rubro-negro como 'Guarani-VA, campeão da primeira fase do Campeonato Gaúcho".

Na sequência, o Inter entra em campo em apenas cinco vezes e sagra-se supercampeão gaúcho, que para a FGF vale como o principal título no Estado em 2002.

O Colorado vinha de uma sequência sem títulos e isto também pesaria para tal decisão.

É bom lembrar, que paralelamente aos campeonatos estaduais pelo país, todos os clubes disputavam as Copas Rio-SP, Sul-Minas e Copa Nordeste.

As Federações reconheceram os times locais como campeões estaduais e mais tarde, com as entradas dos clubes maiores, aí sim surgiram os supercampeões.

Avaí em SC, Iraty no PR e Caldense em MG levaram a honra de serem campeões estaduais em 2002, assim como em outros Estados como São Paulo, Bahia e Goiás.

Apenas no Rio Grande do Sul o seu campeão, no caso o Guarani de Venâncio, ficou sem menção.

Sem falar do investimento perdido com a isenção da Copa Sul-Minas no ano seguinte, onde o time da capital do chimarrão tinha vaga garantida por ter sido o campeão da seletiva, justamente conquistando esse direito vencendo Avaí, Iraty e Caldense, os mesmos campeões em seus Estados.

Nesta quarta-feira, 17 de setembro de 2014, o Guarani-VA abriu vantagem sobre o Inter B pela Copa Fernandão.

Rui BorgmannInter, do atacante Maurides, deixou o Edmundo Feix derrotado no jogo de ida
Inter, do atacante Maurides, deixou o Edmundo Feix derrotado no jogo de ida pela Copa Fernandão

O gol marcado pelo predestinado atacante Paulinho, aos 47 minutos, garantiu a vitória por 1 a 0, no Estádio Edmundo Feix.

Com isso, o Índio tem a possibilidade de empatar em Porto Alegre, na próxima semana, para chegar à final da competição, que leva o nome do maior ídolo colorado, morto em acidente este ano.

Tudo bem que não é o time principal do Inter que disputa a competição, mas certamente o clube de Porto Alegre não desdenharia uma competição intitulada Copa Fernandão.

Doze anos depois, o Guarani de Venâncio Aires, renegado do Gauchão de 2002, volta ao cenário estadual e tem a oportunidade de vingar o Colorado e fazer a final inédita.

Possivelmente contra o vizinho Lajeadense, que não tomou conhecimento do adversário e no jogo de ida aplicou um impressionante 5 a 0 sobre o São José-Poa.

Na rodada de ida e disputa particular entre o Vale do Taquari x Região Metropolitana, 6 x 0 no placar.

FICHA TÉCNICA - Guarani 1x0 Internacional

Copa Fernandão - Semifinal - Jogo de ida

GUARANI (1): Rodrigo; Tinga, Carlão Farias, Márcio Nunes e Alê; Henrique, Anderson Feijão, William Ribeiro (Edgar Alemão), Rafael Bitencourt e Carlinhos (Gelson); Matão (Paulinho). Técnico: Fabiano Daitx.

INTERNACIONAL (0): Alisson; William, Tales, Alan e Geferson; João Afonso, Jair, Leandro e João Henrique (Andrigo); Maurides e Aylon (Taiberson). Técnico: Clêmer.

Gols: Paulinho (G), aos 46min/2º T

Cartões amarelos: Márcio Nunes, Edgar Alemão (G) e William (A)

Árbitro: Daniel Nobre Bins, auxiliado por Sedenir Martins e Antônio João Albornoz

Local: Estádio Edmundo Feix

 

A quatro jogos da Copa do Brasil

por: Rui Borgmann
Data: 16/09/2014 | 09:51

Folha do Mate / Blog do RuiTime campeão de 2002 colocou o Guarani pela primeira vez na Copa do Brasil
Time campeão de 2002 colocou o Guarani pela primeira e única vez numa competição nacional

Com praticamente todos os titulares preservados no fim de semana, o Guarani aposta todas as fichas na conquista da Copa Fernandão.

Há pouco tempo na terceira divisão do futebol gaúcho, o time de Fabiano Daitx sagrou-se vice-campeão da Série B e agora tem a oportunidade de ser finalista em outra competição.

Mesmo o adversário sendo o Inter B, o Guarani tem todas as condições de chegar à final. Como o gol qualificado tem sido decisivo, seria importante não sofrer para levar a decisão a Porto Alegre de forma mais tranquila.

Este segundo jogo está sendo cogitado para ser a preliminar de Inter x Criciúma, pelo Brasileirão, na outra quarta-feira.

Se passar, o Índio enfrenta o vencedor de Lajeadense x São José-Poa por uma vaga na Copa do Brasil.

Em 2003, o time mateiro conseguiu a vaga na competição nacional pela conquista do Campeonato Gaúcho, que não contou com a participação de Grêmio, Inter, Juventude e Pelotas, que disputavam a Copa Sul-Minas.

O adversário foi o América de Natal.

Em Venâncio, o Guarani venceu por 2 a 1, com gols de Aurélio (5 do 1°) e Gilmar Nass (41 do 1° tempo). David (17 do 1°) fez o gol dos potiguares.

A derrota por 1 a 0, em Natal, com gol de Sandro Gaúcho (34 do 1° tempo) eliminou o clube gaúcho no saldo qualificado.

Quarta, 12/03/2003, Machadão - Natal, RN

América-RN (1) - Marcos; Gito; Teci (Tico) Edinho, Eduardo e Lano; Joassis, Márcio Silva (Elissandro), Helinho (Diego Silva); Cristiano e Sandro Gaúcho. Técnico Ferdinando Teixeira

Guarani (0) - André Sangalli; Bolívar, Paulo Roberto, Luciano Vieira e Cristiano (Leandro Cruz), Cadu, Gilmar Nass, Éder Lazzari (Alex) e Paulo Gaúcho; Aurélio e Tiago Belmonte (Paulo Renato). Técnico Mano Menezes.

Campanha

A trajetória do Guarani na Copa Fernandão conta com apenas uma derrota, justamente no jogo de estreia para o Pelotas, em pleno Edmundo Feix por 1 a 0. No jogo de volta, o Índio venceu por 2 a 1 e levou a vaga na fase seguinte pelo gol qualificado. Em seguida, foram dois jogos contra o Ypiranga. Empate por 0 a 0 em Erechim e vitória por 3 a 1 no Edmundo Feix. Na fase de quartas de final, o Pelotas foi novamente o inimigo. Foram dois empates; 0 a 0 em Venâncio e 2 a 2 na Boca do Lobo. Outra vez o Rubro-Negro jogou pelo regulamento e levou a vaga.

Sul-Fronteira

O Guarani empatou com o Bagé, no Edmundo Feix, pela Copa Sul-Fronteira num jogo ruim tecnicamente. Apesar do resultado, o Índio ganhou uma posição na tabela, mas ainda se mantém fora do G-4 que leva à fase seguinte. É bem provável que enquanto estiver com chances de título na Copa Fernandão, o Guarani deverá dar preferência exclusiva na competição de mata-mata, que garantiria, em caso de título, a volta na Copa do Brasil após 12 anos.

Público

No jogo de domingo, a direção reduziu o valor na arquibancada geral a R$ 5, mas outra vez o público foi decepcionante. Há de se relevar que o adversário não foi atrativo, o time jogou com os reservas e a colocação do próprio time na tabela não favorece. Nesta quarta-feira, contra o Inter B, espera-se um público próximo de 1.500 pessoas.

Vitória

Nos primeiros minutos, o Inter só não foi abatido pela incompetência dos atacantes do Botafogo, pois a defesa colorada abriu espaços e correu sério risco. Mas após o golaço de Alex, o time de Abel Braga entrou nos eixos e poderia ter até goleado a equipe carioca. Com ânimo renovado, o Inter encara dois compromissos longe de casa: Sport, quarta-feira e Atlético-PR, sábado.

Empate

O Grêmio cumpriu mais um jogo sem levar gols, mas o ataque deixou a desejar contra o Atlético-MG. Giuliano, que ainda não confirmou o investimento feito pela direção, desperdiçou a bola do jogo, perdendo o gol na cara de Victor. No final, o empate ficou de bom tamanho para as pretensões do Grêmio em brigar pelo G-4. Ao contrário do Inter, o time de Felipão recebe Santos e Chapecoense, com todas as chances de voltar a se igualar ao rival ou quem sabe contar com um tropeço dos primeiros e adentrar na zona de classificação à Libertadores.

Um minuto

E o São Paulo deu vida ao Campeonato Brasileiro ao bater o líder Cruzeiro por 2 a 0. A diferença caiu para quatro pontos e o time de Muricy prova que é sério candidato à disputa do título.

 

Guarani x Bagé: Iguais no Edmundo Feix

por: Rui Borgmann
Data: 14/09/2014 | 21:06

Foto: Rui Borgmann / Blog do RuiMatão x Gabriel: Guarani x Bagé não balançaram as redes
Matão x Gabriel: Guarani x Bagé não balançaram as redes

Com praticamente todos os titulares preservados, com exceção do zagueiro Carlão Farias, que atuou ao lado de Carlão, o Guarani empatou com o Bagé na tarde deste domingo, no Edmundo Feix.

O técnico Fabiano Daitx prioriza a Copa Fernandão, onde o Índio tem vaga garantida nas semifinais. Quarta-feira, às 19h, em Venâncio, os titulares encaram o Inter B no jogo de ida.

No jogo deste domingo, os reservas até dominaram as ações, mas num jogo tecnicamente muito ruim, o 0 a 0 acabou sendo justo. A direção reduziu o valor na arquibancada geral, mas outra vez o público foi decepcionante nas arquibancadas. Pelo visual do estádio, menos de 100 pagaram ingresso.

Com cinco pontos em seis jogos, o Guarani ocupa a sexta colocação na Copa Sul-Fronteira e domingo recebe o Farroupilha, que agora está na lanterna da chave. O Santa Cruz segue líder com 13 pontos.

FICHA TÉCNICA:

Guarani (0): Henrique Becker, Luis Felipe, Carlão Farias, Carlão e Índio (Anderson Feijão), Gelson, Marcelo Pastel e Carlinhos; Paulinho (Edegar Alemão), Matão e Vinicius Padilha (Alê). Técnico: Fabiano Daitx.

Grêmio Bagé (0): Guilherme, Pedro Júnior, Rambo, Ilson e Gabriel; Dieisson, Bruno, Alex (Gustavo) e Fernando; Serjão e Taynã (Matheus Felipe) (Gelson Antunes). Técnico: Luciano Correia.

Arbitragem: Rogério Furtado Gonçalves, auxiliado por Paulo Ricardo Conceição e Fábio de Melo.

 
PERFIL


O esporte sempre esteve presente em minha vida, desde a infância. Como quase todo menino, meu sonho era ser jogador de futebol, mas confesso não sentir frustração alguma por não ter conquistado espaço nos gramados, à medida que uma minoria consegue realização plena na carreira de futebolista.
O Blog do Rui traz informação e opinião sobre o Guarani de Venâncio Aires, sobre a Assoeva na Liga Nacional e Estadual de Futsal, além dos demais esportes de destaque na região. A dupla Gre-Nal também recebe seu espaço.

Curta a FanPage no Facebook: https://www.facebook.com/pages/Blog-do-Rui

'O sorriso enriquece os recebedores sem empobrecer os doadores'.
Mario Quintana

BUSCA
CATEGORIAS
LINKS ÚTEIS
ÚLTIMOS POSTS