Seguindo os vestígios de Agatha Christie

por: Solange Silberschlag Beglin
Data: 17/09/2016 | 07:31

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalGreenway House foi adquirida por Agatha Christie em 1938
Greenway House foi adquirida por Agatha Christie em 1938
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalMansão está situada às margens do Rio Dart com esta visa espetacular
Mansão está situada às margens do Rio Dart com esta visa espetacular

Considerada uma das maiores escritoras de romance policial, Agatha Christie (1890 - 1976) criou obras que marcaram muitas gerações com a publicação de mais de 80 livros, traduzidos mundo afora e adaptados ao cinema e televisão. Suas histórias de suspense e mistério continuam a conquistar um público variado até hoje. Nascida na cidade de Torquay, no condado de Devon, sudoeste da Inglaterra, a Rainha do Crime teria completado 126 anos no dia 15 de setembro último.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalQuadro de Agatha Christie, ainda menina, ao lado da boneca preferida. Embaixo, na cadeira a boneca de porcelana!
Quadro de Agatha Christie, ainda menina, ao lado da boneca preferida. Embaixo, na cadeira a boneca de porcelana!
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalMuito verde em torno da casa de veraneio
Muito verde em torno da casa de veraneio

Durante os 85 anos de vida, Agatha Christie foi sempre fiel à região natal e em muitas de suas tramas descreve sutilmente  a paisagem verdejante dos campos e colinas de Devon. Embora a casa onde nasceu tenha sido destruída, não muito distante de Torquay, no vilarejo de Galmpton, encontra-se Greenway House, a mansão de veraneio da escritora, às margens do Rio Dart e onde ela passou boa parte de sua vida. Durante nossas férias com a família na costa sudoeste da Inglaterra fomos conhecer a majestosa residência que desde 2009 está aberta à visitação.  Ao chegar no pequeno pórtico de acesso não se tem ideia do esplendor  que se esconde atrás dos bosques maciços, contornando o caminho de entrada. Nesta tarde ensolarada de verão as folhas viçosas  vão revelando canteiros  floridos com a água cintilante do Rio Dart como pano de fundo. 

Vamos caminhando em direção à mansão, saboreando a brisa suave e perfumada, imaginando Agatha Christie décadas atrás  divagando por este mesmo  jardim, contemplando a paisagem maravilhosa. Iluminada pelo sol  refletindo na água e vista espetacular dos barquinhos no rio, a arquitetura georgiana de Greenway é simplesmente deslumbrante.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalQuarto do casal, como se ainda ali estivessem vivendo
Quarto do casal, como se ainda ali estivessem vivendo

E o espetáculo só aumenta ao visitar os aposentos do casarão. Vamos seguindo as pistas que nos levam à vida privada da romancista. E quanto detalhe! Já no hall de entrada a variedade  de objetos e obras de arte aguçam a curiosidade de qualquer fã! Em sua autobiografia, Agatha Christie conta que quando era criança adorava brincar de bonecas, com a  imaginação solta transformava-as em personagens, criando pequenas estórias. As bonecas com rosto de porcelana e outros brinquedos  que inspiraram a infância da escritora estão espalhados por toda casa, inclusive o quadro à óleo com sua boneca preferida e que inspirou uma de suas obras. A decoração interior é simples mas autêntica. A impressão é que a família esteja ainda vivendo ali, com a mobília imperfeita, porta-retratos antigos, coleções de porcelana, artigos pessoais,  livros e tantos objetos adquiridos  durante  viagens ao Medio Oriente com o segundo marido, arqueólogo Max Mallowan (1904 - 1978).

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalBrinquedos de Agatha no seu sofá preferido
Brinquedos de Agatha no seu sofá preferido
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalFriso na parede da biblioteca pintado por Marshall Lee
Friso na parede da biblioteca pintado por Marshall Lee

Agatha Christie foi alfabetizada  em casa pela mãe e governantas  e mais tarde estudou farmacologia (a paixão por química  com certeza inspirou as  poções venenosas e desfechos nefastos de suas tramas). Desde criança tocava piano com grande talento, mas devido à timidez e nervosismo  não gostava de apresentações ao público. Na sala de estar da mansão, seu piano ocupa posição de destaque e pode inclusive ser usado pelos visitantes pianistas ou até  mesmo por aqueles  desprovidos de qualquer  talento musical, como eu, que não contive a vontade de tocar nas teclas de  Agatha Christie!

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalMinha filha ensaindo algumas notas nas teclas da escritora
Minha filha ensaindo algumas notas nas teclas da escritora

Mais adiante na biblioteca, cômodo preferido da escritora, uma pintura enorme de friso, realizada pelo tenente americano  Marshall Lee retrata a trajetória da Flotilha 10 da guarda costeira americana. Durante a Segunda Guerra Mundial a mansão foi requisitada pelos americanos devido a sua posição geográfica. Agatha Christie decidiu manter a magnífica pintura nas paredes  da residência  depois do final da Guerra quando a mansão foi devolvida à família.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalCozinha
Cozinha
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalSimplicidade no escritório da Rainha do Crime. Destaque para sua máquiina de escrever
Simplicidade no escritório da Rainha do Crime. Destaque para sua máquiina de escrever

Tanto a mansão quanto os vastos jardins de Greenway incitaram a mente perspicaz da escritora a continuar  produzindo narrativas de suspense involvendo o  famoso detetive Hercule Poirot e a intrigante  Miss Marple. Pelo menos três obras foram ambientadas  na paisagem em torno da mansão:  Os Cinco Porquinhos (1942), Hora Zero (1944) e Jogo Macabro (1956). No andar superior da casa, uma pequena caixa com tubos de ensaio e um baú iraquiano fazem parte da decoração do escritório onde se encontra a máquina de datilografar da romancista, deixandro rastros  evidentes  de sua fonte de inspiração aos livros  O Mistério do Baú de Bagdá (1939) e A Aventura do Pudim de Natal (1960).

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalColeção de suas obras, incluindo script para o seriado Poirot da rede televisão britânica ITV
Coleção de suas obras, incluindo script para o seriado Poirot da rede televisão britânica ITV

Visitar a mansão de Greenway é uma experiência única e enriquecedora, mesmo àqueles que nunca leram a obra de Agatha Christie, pois trata-se de história viva e enigmática, seguindo os vestígios deixados pela  Rainha do Crime.

 

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalInfusões de Agatha Christie
Infusões de Agatha Christie
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalSorvendo um bom chimarrão em frente a mansão!
Sorvendo um bom chimarrão em frente a mansão!

[GALERIA_819]

 

Comentários


PERFIL

Solange Silberschlag Beglin


Há 22 anos morando na Europa com meu marido inglês e nossos três filhos, adoro viajar, renovar conceitos e assimilar novas culturas. Nesta longa trajetória já morei em Roma durante quatro anos e meio, dois anos na Líbia, quatro anos em Paris, dois anos em Minsk, capital da Bielorússia, e atualmente moro em Londres. Na terra da rainha Elizabeth estão as raízes da nossa família. Entre uma mudança e outra, ao longo dos anos a bagagem cultural foi aumentando e enriquecendo a alma. Vou contar um pouco aqui neste blog justamente sobre as diferenças culturais, estilo de vida e tradições do velho continente. Vou relatar minhas viagens, sempre com várias dicas, assim como fatos interessantes e pitorescos da vida cotidiana na Europa. Viaje comigo e compartilhe aqui também a sua experiência!

BUSCA
CATEGORIAS
LINKS ÚTEIS
    ÚLTIMOS POSTS