Covent Garden, história e diversão no coração pulsante de Londres

por: Solange Silberschlag Beglin
Data: 27/06/2017 | 15:54

Covent Garden, no coração pulsante de Londres

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalpubs históricos em Covent Garden
pubs históricos em Covent Garden

Entre meandros históricos emoldurados por palacetes de outros séculos, o coração pulsante de Londres acelera a batida no bairro de Covent Garden. Esta região bem no centro da capital britânica é caracterizada pelos ares boêmios de outros tempos. Um territórico ardente, centro de comércio e tumulto filosófico durante os séculos XVII e XIX. Um distrito de barulho e prazer, cuja história marcante se percebe ainda hoje pelas ruas estreitas do bairro. Em 1630 foi construída a primeira praça pública da Inglaterra na zona residencial de Covent Garden e assim o local se transformou num  empório de comércio e feira de produtos hortifrutigranjeiros.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalCovent Garden era um grande mercado de frutas e verduras
Covent Garden era um grande mercado de frutas e verduras

Com o grande incêndio de 1666 que destruiu boa parte do centro londrino, Covent Garden se tornou  no mercado público de frutas, legumes e flores mais importante do país, oferecendo mercadoria exótica e produtos  provenientes de todo o mundo, que chegavam de barco pelo rio Tâmisa. Sua história de sucesso como feira de legumes e flores perdurou até 1974 quando o mercado foi transferido para outra zona de Londres, com infraestrutura maior e melhor a fim de abrigar a demanda dos tempo modernos. As origens de Covent Garden como empório comercial, na verdade, remontam ao século VI quando o local era conhecido como a vila mercantil de Lundenwic e usado para escambos nos tempos de domínio dos saxões.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalPavilhão era lotado de hortigranjeiros e flores antigamente e hoje em dia abriga muitos restaurantes e cafés
Pavilhão era lotado de hortigranjeiros e flores antigamente e hoje em dia abriga muitos restaurantes e cafés
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalCovent garden foi palco de encontros históricos no mundo literário
Covent garden foi palco de encontros históricos no mundo literário

O nome deriva do termo do inglês arcaico Covent Gardyn, ou seja jardins do convento ali construído  em 1491. Os monges que faziam parte do Monastério da Abadia de Westminster  mantiam uma área enorme de plantação hortícola no local mas com a dissolução do monastério em 1552  a propriedade foi doada à família dos condes de Bedford que mais tarde, em 1630, determinou a construção de elegantes casarios  e uma praça pública. Covent Garden tornou-se assim sinônimo de frutas e vegetais frescos e ponto de encontro de nomes emergentes no mundo literário britânico. Hoje em dia Covent Garden continua sendo um bairro muito especial, repleto de animação, principalmente pelos  artistas de rua que transformam as áreas em torno do pavilhão central num grande teatro a céu aberto.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalApresentações de artistas de rua animam a galera!
Apresentações de artistas de rua animam a galera!
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalCovent Garden é sinônimo de compras
Covent Garden é sinônimo de compras

A qualquer hora do dia o bairro exala descontração com pequenas plateias que se formam em torno das apresentações de rua. A região é marcada por teatros imponentes, como o Royal Opera House, construído em 1732, e que continua até hoje sendo palco de grandes nomes das artes cênicas, ópera e balé. Para descobrir Covent Garden é preciso se perder pelas ruelas que circundam a praça principal.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalSeven dials
Seven dials

É preciso caminhar, observando cada detalhe das fachadas antigas até chegar no monumento 'Seven Dials' (sete ponteiros)onde sete ruas se convergem num pilar adornado por relógios solares, formando uma charmosa rotatória e ponto turístico do bairro. Seven Dials é emoldurada por palacetes centenários ligando os bairros londrinos  de Covent Garden e Soho. A ordem por aqui  é caminhar sem pressa, deixando-se contagiar pelo movimento de gente e burbuinho. O passeio continua pelas ruelas  do Neal Yard onde o clima boêmio impera com inúmeros bares,  restaurantes e lojinhas alternativas oferecendo de tudo um pouco.   No  fim de semana barraquinhas com comida de rua, preparadas na hora, completam os opções de gastronomia, além é claro dos tradicionais pubs e casas de chá espalhadas pelo distrito. A região atrai centenas de turistas diariamente, seja em busca de diversão  ou para fazer compras nas ruas lotadas. Covent Garden é um passeio delicioso, no coração  efervescente de Londres!

COMO CHEGAR - metrô linha azul  marinho (Piccadilly line) estação Covent Garden. 

ONDE COMER -  já fui em vários pubs do bairro (inclusive o Punch & Judy. foto acima, e que não foi grande coisa...). Fish & Chips do The White Lion (foto no topo) é bem bom! Para o chá ou café da tarde, uma paradinha no La Durée (eu sei, é francês! e os docinhos  irresistíveis) é obrigatória (pertinho do largo da Igreja de St Martin)

 

 

 

Espetáculo de cores nos jardins de Hidcote

por: Solange Silberschlag Beglin
Data: 25/06/2017 | 17:19

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalJardins estão localizados na região de Cotswolds
Jardins estão localizados na região de Cotswolds

Jardins ingleses, de tirar o fôlego!

Desde a primeira vez que visitei os canteiros floridos espalhados pelos rincões  da Terra da Rainha, fiquei deslumbrada pela jardinagem inglesa. Escondido entre estradinhas sinuosas  no meio da paisagem rural  da região dos Cotswolds, no coração da Inglaterra, o jardim de Hidcote Manor  é uma obra de arte cravejada no esplendor da natureza. Nesta semana voltei a visitar este oasis colorido  localizado no vilarejo de Hidcote, entre as cidades de  Stratford-upon-Avon (onde nasceu o poeta e dramaturgo William Shakespeare)  e Chipping Campden, no condado de Gloucestershire.  Considerado um dos jardins mais inspiradores  do país, Hidcote denota poesia no mundo das flores.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalCottage garden
Cottage garden
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalAbundância de cores, por onde se anda ...
Abundância de cores, por onde se anda ...

 Esta obra de arte foi criada  no início do século XX pelo colecionador de plantas e paisagista , Lawrence Johnston. Em 1907 ele adquiriu a propriedade rural de Hidcote Manor e ali iniciou seu sonho de criar um jardim selvagem num espaço  formal. Pioneiro em sua visão de jardinagem, ele  transformou os campos ao redor da  mansão rural  numa área dividida em 'aposentos  verdes', usando plantas e cercas vivas e árvores para separar os espaços.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalMansão de Hidcote mantém arquitetura original
Mansão de Hidcote mantém arquitetura original
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalSinfonia de cores!
Sinfonia de cores!

Johnston trabalhou durante quatro décadas no projeto, trazendo plantas e folhagens  de todo mundo,  mas somente depois de  1948, quando a propriedade foi doada à Fundação Nacional de Patrimônio Público, que o jardim se concretizou  na forma de hoje. 

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalJardim formal
Jardim formal

Os jardins de Hidcote são simplesmente mágicos!

Este  paraíso de flores disperso numa área de quatro hectares é  fonte de inspiração a jardineiros e paisagistas de todo mundo. Hidcote é, na verdade, uma coleção de pequenos jardins, distintos, com sua própria identidade, recortados por alamedas perpendiculares emolduradas por  ciprestes e arbustos. Do jardim das rosas, de topiarias, flores do campo, das  bordas avermelhadas  até a exuberância das  vitórias-regias, é impossível escolher o mais lindo, ou  preferido.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalRosas perfumadas ...
Rosas perfumadas ...
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalJardim de ciprestes e flores brancas
Jardim de ciprestes e flores brancas

Ao caminhar neste labirinto de pérolas perfumadas,  a sensação é  de estar navegando num cenário de conto de fadas,  embalada pela sinfonia de cores vibrantes espalhadas pelos  canteiros abundantes. Em cada espaço, entre uma arcada verde e outra, caminhos sinuosos revelam pequenos jardins secretos, acrescentando charme aos maciços  floridos.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalarcos verdes vão revelando a magia de pequenos jardins
arcos verdes vão revelando a magia de pequenos jardins
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalvitorias-regias em plena floração, lindo demais
vitorias-regias em plena floração, lindo demais

Renques de pétalas mimosas adornam  estátuas e chafarizes, enquanto folhagens  viçosas  e elementos naturais  criam paisagens campestres. Um passeio pleno de magia e inspiração nestes  jardins encantadores. Um  espetáculo divino, a ser contemplado vagarosamente,  saboreando a profusão de fragâncias que paira no ar. O melhor período  para visitar é nesta época  do ano,durante o verão europeu, entre junho e agosto, quando as flores estão vaporosas, no auge de seu esplendor.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoallinhas perpendiculares delineam os
linhas perpendiculares delineam os "aposentos verdes"

Os jardins ingleses arrancam suspiros.  Eles são perfeitos e despretensiosos,  aproximando  a imperfeição natural de terrenos acidentados à grandiosidade de avenidas de ciprestes. Os jardins ingleses incorporam  exuberância sem ostentar, seja nos canteiros floridos ou elementos ruprestes. Eles enaltecem a beleza natural da paisagem

Flores azuis!!!!

 

E que paisagem!

Impossível não se encantar nestes jardins ...

Morando aqui do outro lado do oceano há mais de duas décadas, eu sei que sou suspeita para falar, mas continuo acreditando, desde aquela primeira vez que pisei em solo britânico,  que os jardins ingleses são os mais lindos e maravilhosos  do mundo! E o jardim de Hidcote é uma dessas joias preciosas, brilhando sem parar l[a nos confins da Inglaterra rural. 

perfeição!

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalJardim selvagem
Jardim selvagem, no meio da paisagem verdejante
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalAdoro essa flor rosa (em inglês foxglove,Digitalis purpurea
Adoro essa flor rosa (em inglês foxglove,Digitalis purpurea)
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalA branca também é linda
A branca também é linda

COMO CHEGAR - Carro é a melhor opção. Onibus de Stratford-upon-Avon (a cada duas horas).

INGRESSOS - adulto £11,80 libras (cerca R$ 40,00), menores de 16 anos £5,90 libras (cerca R$ 18,00)

QUANDO VISITAR/HORARIO - durante primavera/verão (melhor época de visitação) aberto diariamente das 10h às 18h

O local conta com dois cafés e um restaurante, um lojinha de souvenirs e uma loja de plantas e artigos de jardinagem 

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalMuitas opções na lojinha de jardinagem
Muitas opções na lojinha dos jardins de Hidcote

Os jardins podem ser visitado durante todo o ano, embora nos meses de inverno (outubro a fevereiro) esteja aberto somente durante o fim-de-semana.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalEu, me sentindo a rainha das flores!!!! rsrsrs
Eu, me sentindo a rainha das flores!!!! rsrsrs

 

 

 

Exposição de vestidos ícones da princesa Diana

por: Solange Silberschlag Beglin
Data: 14/05/2017 | 16:55

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalPalácio de Kensington, no coração de Londres
Palácio de Kensington, no coração de Londres

Princesa Diana e seus vestidos deslumbrantes! Nesta semana fui conferir de perto a exposição em homenagem à princesa Diana, no Palácio de Kensington, no coração de Londres. Intitulada 'Diana: Sua história de vida através da moda'  (Diana: Her Fashion Story) a mostra reacende o fascínio da princesa de Gales com vários vestidos ícones recontando diferentes fases de sua (breve) vida.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalTraje deslumbrante, bordado em pérolas e inspirado na era tudoriana, mas que a imprensa britânica apelidou de vestido Elvis Presley devido à gola alta
Traje deslumbrante, bordado em pérolas e inspirado na era tudoriana, mas que a imprensa britânica apelidou de vestido Elvis Presley devido à gola alta

Desde a famosa blusa em tom rosa chá, vestida para as fotos de noivado com príncipe Charles, herdeiro do trono britânico, até os vestidos de noite deslumbrantes, o impacto de cada peça é supreendente.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalBlusa usada para os retratos de noivado virou ícone nos anos 80
Blusa usada para os retratos de noivado virou ícone nos anos 80

A exposição conta com trajes assinados pelos estilistas  preferidos da princesa como David Emanuel, Versace, David Sasson, Victor Edelstein, Catherine Walker entre outros. No total são 25 peças usadas  em suas aparições públicas, eventos filantrópicos, de trabalho e  gala cobrindo o período de casamento e após o divórcio em 1992.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalMais um famoso fotografado para revista Vogue e assinado por Versace
Mais um famoso fotografado para revista Vogue e assinado por Versace
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalJardim em tom branco para homenagear a princesa
Jardim em tom branco para homenagear a princesa

Da jovem e  tímida princesa  até a mulher madura e independente, com o tempo  Lady Di foi ganhando confiança e a exposição capta justamente esta  evolução no estilo da princesa. Durante as décadas de  80 e 90 Lady Di sacudiu o mundo da moda tornando-se  a mulher mais fotografada em todo mundo. Ela rapidamente cativou o coração de milhões, espalhados em cada canto do planeta. A 'princesa do povo' usava seu guarda-roupa para se comunicar com o resto do mundo.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalPeças do
Peças do "guarda-roupa de trabalho" dos anos 90, e assinadas pela estilista Catherine Walker fazem parte da exposição

Repetia vestidos florais (e alegres!) para visitas a hospitais e centros infantis, dispensava  luvas,  um protocolo da realeza que ela abandonara  logo cedo, porque  para ela o contato  pessoal era mais importante. Nunca usou chapéu ao visitar crianças, porque como ela própria dizia, 'Você não consegue abraçar uma criança vestindo um chapéu'.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalRomanticismo dos anos 80
Romanticismo dos anos 80

Seu carisma e amor ao próximo fizeram dela muito mais que uma princesa com passado aristocrático. Ela se transformou  num ícone,  grande  idealizadora de projetos filantrópicos,  em prol das classes menos favorecidas, crianças,  doentes,  portadores de aids, mineiros terrestres,  atravessando fronteiras onde nunca antes a monarquia britânica tinha tocado.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalVestido todo rendado, azul marinho, ficou famoso quando Lady Di dancou com John Travolta num evento oficial na Casa Branca
Vestido de veludo, todo detalhdo em azul marinho, ficou famoso quando Lady Di dançou com John Travolta num jantar de gala na Casa Branca em 1985
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalMuito brilho e ombreiras marcam a moda dos anos 80
Muito brilho e ombreiras marcam a moda dos anos 80

E durante sua trajetória usou  a moda para repassar sua mensagem.  Neste ano, em agosto,  marca o aniversário de  20 anos de sua partida trágica e repentina, aos 36 anos,  num acidente de trânsito em Paris, em 1997.  Durante este ano o Palácio de Kensington, onde Lady Di morou durante 15 anos, estará organizando eventos diversos para relembrar a data com a exposição de vestidos como peça central.

Os jardins do palácio também prestam homenagem à princesa, com canteiros de flores predominantemente na cor branco, criando um cenário sereno, de paz e  gratidão  à princesa  que inspirou milhões e cuja história continua a brilhar... A exposição fica aberta até fevereiro de 2018.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalUm dos vestidos usados em suas primeiras aparições públicas
Um dos vestidos usados em suas primeiras aparições públicas

 

INGRESSOS -  £17,00 libras adulto, £13,50 estudantes e pessoas acima de 60 anos. Crianças entrada gratuita. Recomendo fazer agendamento online, principalmente para os meses de verão aqui (julho e agosto) - link http://www.hrp.org.uk/kensington-palace/visit-us/informa%C3%A7%C3%B5es-sobre-kensington-palace/#gs.KA1mYtI . Jardins e parque têm entrada livre.

Foto: S S Beglin / arquivo pessoalDiana sacudiu o mundo da moda
Diana sacudiu o mundo da moda

Entrada dá acesso ao Palácio Kensington que é magnífico. Já contei aqui sobre o palácio, confira o link http://www.folhadomate.com/blog/da-europa70/0000/9344600

Foto: S S Beglin / arquivo pessoal300 anos de história no Palácio de Kensington
300 anos de história no Palácio de Kensington
Foto: S S Beglin / arquivo pessoalEuzinha, contagiada pela energia deste lugar maravilhoso
Euzinha, contagiada pela energia deste lugar maravilhoso

 HORARIO DE ABERTURA - Março a outubro aberto das 10h às 18h. Novembro a fevereiro das 10h às 16h.

COMO CHEGAR - Metrô linha vermelha, Central Line, estação Queensway

 

 
Páginas:
12345...Próximo
PERFIL

Solange Silberschlag Beglin


Há 22 anos morando na Europa com meu marido inglês e nossos três filhos, adoro viajar, renovar conceitos e assimilar novas culturas. Nesta longa trajetória já morei em Roma durante quatro anos e meio, dois anos na Líbia, quatro anos em Paris, dois anos em Minsk, capital da Bielorússia, e atualmente moro em Londres. Na terra da rainha Elizabeth estão as raízes da nossa família. Entre uma mudança e outra, ao longo dos anos a bagagem cultural foi aumentando e enriquecendo a alma. Vou contar um pouco aqui neste blog justamente sobre as diferenças culturais, estilo de vida e tradições do velho continente. Vou relatar minhas viagens, sempre com várias dicas, assim como fatos interessantes e pitorescos da vida cotidiana na Europa. Viaje comigo e compartilhe aqui também a sua experiência!

BUSCA
CATEGORIAS
LINKS ÚTEIS
    ÚLTIMOS POSTS